Além das manutenções constantes às quais são submetidos todos os ônibus das empresas concessionárias do transporte coletivo urbano de Campinas, toda a frota passa por uma rígida inspeção que atesta a qualidade dos veículos.

“Os ônibus passam por uma inspeção semestral que verifica o funcionamento de todos os sistemas e, depois de aprovados, recebem um selo que garante a qualidade e possibilita o tráfego desses carros até o próximo período de inspeções”, explica Paulo Barddal, diretor de Comunicação e Marketing da Associação das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Campinas (Transurc).

Vale ressaltar que todas as garagens têm planos de manutenção preventiva, garantindo que cara ônibus da frota da cidade passe periodicamente por revisões. “A manutenção preventiva é fundamental para evitarmos problemas futuros. Quando uma peça ou sistema é diagnosticado com algum problema, sua troca é efetuada imediatamente. Isso evita que o veículo quebre enquanto circule nas ruas e garante a segurança e a qualidade do transporte na cidade”, completa Barddal.

Biodiesel

Além da segurança dos ônibus, as empresas responsáveis pelo transporte coletivo urbano de Campinas se preocupam com a manutenção do meio ambiente. Por isso, desde o início deste ano, toda a frota da cidade é movida pelo biodiesel S-50, que emite apenas 50 partes por milhão (ppm) de enxofre (S) após a queima no motor.

“Se compararmos com o combustível utilizado anteriormente (diesel S-500), o S-50 libera 10 vezes menos enxofre na atmosfera. Num primeiro momento, a redução de material particulado emitido para a atmosfera é de 5%, mas pode chegar a 70% no futuro”, finaliza Barddal.

O material particulado é um conjunto de poluentes constituído de poeiras, fumaças e todo tipo de material sólido e líquido, que se mantêm suspensos na atmosfera por causa de seu pequeno tamanho, têm potencial de causar riscos à saúde e são responsáveis pela chuva ácida.