Imagens comparadas de três satélites, analisadas pela Universidade de Tel Aviv (Israel), indicam que na última década Campinas foi a 9ª cidade do mundo que mais reduziu os índices de poluição. Dos demais municípios brasileiros, apenas Curitiba e Brasília ficaram à frente. Campinas teve queda de 19,2% no nível de poluição em uma década. As duas líderes do país – Curitiba e Brasília – registraram 26,2% e 20,2%, respectivamente. Outra boa notícia é que a cidade segue na contramão das metrópoles mundiais. Na maioria delas, houve aumento na quantidade de partículas, gases tóxicos e fumaça no ar.

Uma das causas é a diminuição na emissão de poluentes que saem de escapamentos de carros, ônibus e caminhões. As concessionárias do transporte coletivo urbano de Campinas estão fazendo a sua parte e contribuindo para diminuir a emissão de poluentes. Neste ano, por exemplo, as empresas começaram a usar em seus veículos o novo biodiesel B-10, uma mistura do S-10 com 5% de biodiesel, ideal para os motores com tecnologia Euro 5, que estão presentes nos novos ônibus.

O teor de enxofre do diesel S-10 é de no máximo 10 mg/kg (ou partes por milhão, ppm), uma quantidade mínima, que equivale ao mesmo teor de enxofre do diesel usado na Europa. Somado ao biodiesel, combustível que emite menos poluentes, pois é fabricado a partir de fontes renováveis (girassol, soja, mamona), o B-10 contribui com a melhora da qualidade do ar de Campinas. O combustível reduz em até 90% as emissões de enxofre, emite menos material particulado e menos fumaça branca.