A Prefeitura de Campinas deve mais de R$ 13,3 milhões às empresas Itajaí Transportes Coletivos, VB Transportes e Turismo, Onicamp Transporte Coletivo, Expresso Campibus e Coletivos Pádova, concessionárias do transporte coletivo urbano de Campinas. A dívida vem de julho deste ano e refere-se ao não-pagamento do subsídio parcial às gratuidades e passes Escolar e Comum adquiridos por intermédio de diversas secretarias municipais. As concessionárias, associadas à Associação das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Campinas (Transurc), estão preocupadas com o pagamento dos salários de dezembro dos 4,5 mil funcionários.

“O problema existe há anos e se agravou com esse quadro de instabilidade política. Assim como os outros grandes fornecedores da Prefeitura ficaram sem receber, as concessionárias também sofreu com isso. Cada prefeito que assumiu o cargo definiu de forma diferente como seriam realizados os pagamentos dos fornecedores”, afirmou Sérgio Torrecillas, secretário de Transportes do município.

Ao mesmo tempo em que a Prefeitura não paga a dívida com as concessionárias, ela multa as empresas que estão com dificuldades financeiras para manter o programa de renovação de frota e compra de veículos acessíveis.

“Parece que a Prefeitura de Campinas não leva em consideração que o não-pagamento dos R$ 13,3 milhões impacta diretamente no poder de investimento das concessionárias. Isso está comprometendo a manutenção dos investimentos, a renovação da frota e, inclusive, o pagamento de fornecedores e dos salários de funcionários das concessionárias”, completou Paulo Barddal, diretor de Comunicação e Marketing da Transurc.

A sede da Associação das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Campinas (Transurc), situada na Rua Onze de Agosto, 757, Centro, funcionará das 8h às 12h na sexta-feira (30 de dezembro). Vale ressaltar que os Postos de Atendimento da Transurc nos terminais de ônibus ficarão abertos no horário convencional neste dia.

Já no sábado (31 de dezembro), todos os Postos de Atendimento nos terminais ficarão abertos das 6h às 18h. No 1º dia de janeiro de 2012 todos os postos estarão fechados.

A Associação das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Campinas (Transurc) suspendeu nesta segunda-feira (19 de dezembro) a venda de créditos para o Bilhete Único Escolar. Em cumprimento às determinações da Resolução Municipal nº 206/2011, da Secretaria Municipal de Transportes (Setransp) e publicada no Diário Oficial do Município, a venda de créditos para o Bilhete Único Escolar será retomada no dia 23 de janeiro de 2012.

Os estudantes dos cursos de educação profissional técnica de nível médio que comprovarem que continuarão os estudos nesse período poderão efetuar a recarga do cartão somente na sede da Transurc, localizada na Rua Onze de Agosto, 757, Centro.

“Vale ressaltar que o sistema de transporte coletivo urbano continuará aceitando o Passe Escolar no período de recesso das vendas. Sendo assim, os estudantes que ainda possuírem créditos em seus cartões podem utilizá-los normalmente”, explicou Paulo Barddal, diretor de Comunicação e Marketing da Transurc.

A Associação das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Campinas (Transurc) inicia o processo de cadastramento para obtenção do Bilhete Único Escolar no dia 16 de janeiro. O procedimento é dirigido aos estudantes do Ensino Fundamental, Médio e Técnico que residam a mais de um quilômetro da escola onde estudam e que desejam obter o benefício pela primeira vez ou pelos alunos que não participaram da antecipação do cadastramento realizada pela associação neste final de ano.

Mas, para facilitar ainda mais todo o processo, a Transurc disponibilizará uma semana antes, no dia 9, o formulário que precisa ser preenchido pelos estudantes na sua sede, na Rua 11 de Agosto, 757, Centro, no site www.transurc.com.br ou ainda nos postos de venda dos terminais Central, Ouro Verde, Campo Grande e Barão Geraldo. O horário de atendimento em todos os postos é das 8 às 17 horas, de segunda a sexta-feira.

A expectativa da Transurc é que mais 45 mil estudantes, além dos quase 15 mil que já fizeram a antecipação, façam o cadastramento a partir do dia 16 de janeiro. “Vale ressaltar que a retirada dos formulários começa no dia 9 de janeiro, mas a entrega do formulário preenchido, carimbado e assinado por um representante legal do estabelecimento de ensino onde o estudante está matriculado se inicia uma semana depois, no dia 16”, explica Paulo Barddal, diretor de Comunicação e Marketing da Transurc.

O formulário preenchido pelo estudante, assinado pelo responsável da escola, deve ser entregue em algum dos postos citados acima, juntamente com original e cópia de um comprovante de residência recente (dos últimos seis meses) e da cédula de identidade ou certidão de nascimento (para menores de 14 anos que não têm a carteira de identidade).

A Transurc realizará uma checagem dos dados e, em quinze dias, o usuário deve retornar ao local em que entregou o formulário para retirar a Caderneta de Frequência. A caderneta é o documento que garante que o estudante continua matriculado na escola. “Mensalmente, o aluno apresenta a caderneta na escola que é carimbada e assinada pelo diretor. Esse procedimento é imprescindível para que o estudante possa continuar comprando o Passe Escolar com 60% de desconto e serve para coibir fraudes”, afirma Barddal.

Primeira vez

Se for a primeira vez que o estudante está se cadastrando, ele receberá um protocolo para que compareça à sede da Transurc para tirar uma fotografia que será impressa no cartão Bilhete Único Escolar. Na primeira compra do ano, o usuário paga uma taxa de cadastramento no valor de duas tarifas vigentes. O benefício é válido somente aos alunos que residam e estudem em Campinas.

Mais uma vez, por conta de uma disputa de caráter político/sindical, uma empresa de ônibus é paralisada em Campinas e, com isso, a população usuária fica com o seu direito de ir e vir prejudicado. Hoje foi a vez da VB Transportes e Turismo, que opera na Região do Ouro Verde, também conhecida como a área 1 ou área azul.

A disputa, que vem afetando o transporte coletivo em Campinas, se estende faz algum tempo, desde que a diretoria do Sindicato dos Rodoviários acabou presa após denúncia de extorsão contra um convênio médico. Uma nova diretoria assumiu o poder na época e, depois de algum tempo, as pessoas que haviam sido presas retornaram ao poder.

Nos últimos tempos, desde o dia 7 de novembro, iniciou-se uma nova disputa entre a situação e oposição. No início do mês passado, funcionários da VB que opera as linhas verdes, também conhecida por VB3, ligados à oposição paralisaram a empresa. Em seguida, no dia 16 de novembro, a atual diretoria do Sindicato dos Rodoviários, resolveu dar o troco e, para mostrar força, fez greve na VB1, a mesma que foi afetada hoje por uma nova paralisação, desta vez insuflada pela oposição.

Na semana passada, por exemplo, um membro da atual diretoria ameaçou paralisar a VB1 amanhã (13 de dezembro), mas a oposição conseguiu ser mais rápida e paralisou a empresa hoje. Com isso, cerca de 170 mil passageiros ficaram sem transporte e tiveram os seus compromissos prejudicados.

Toda a frota das empresas concessionárias do transporte coletivo urbano de Campinas passou por um processo de vistoria, finalizado no início de novembro, feito por profissionais da Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (Emdec). Além das manutenções constantes às quais são submetidos todos os ônibus das empresas Itajaí Transportes Coletivos, VB Transportes e Turismo, Coletivos Padova, Expresso Campibus e Onicamp Transporte Coletivo, toda a frota passa, semestralmente, por uma rígida inspeção que atesta a qualidade dos veículos.

Essa inspeção semestral verifica o funcionamento de todos os sistemas e, depois de aprovados, recebem um selo que garante a qualidade e possibilita o tráfego desses carros até o próximo período de inspeções.

Vale ressaltar que todas as garagens têm planos de manutenção preventiva, garantindo que cada ônibus da frota da cidade passe periodicamente por revisões. A manutenção preventiva é fundamental para que sejam evitados problemas futuros. Quando uma peça ou sistema é diagnosticado com algum problema, sua troca é efetuada imediatamente. Isso evita que o veículo quebre enquanto circula nas ruas e garante a segurança e a qualidade do transporte na cidade.

O movimento, que completou quatro anos, abrangerá toda a Região Metropolitana de Campinas a partir de 2012

O Compromisso Campinas Pela Educação (CCE) completou quatro anos no último dia 29 e, para celebrar a data, uma festa de gala na Casa de Campo Royal Palm Plaza reuniu os gestores do CCE e representantes de diferentes setores de Campinas e de toda a Região Metropolitana (RMC). Além da confraternização pela data especial, o evento serviu para o anúncio da expansão das metas do CCE, que a partir de 2012 abrangerá todas as cidades da RMC.

Antes do anúncio, o coordenador executivo do CCE, Luiz Eduardo Drouet, visitou todas as Secretarias de Educação dessas cidades para que elas conhecessem os trabalhos do movimento e se comprometessem a participar das atividades que buscam melhorar a qualidade do ensino público.

Com a integração regional, os municípios poderão unir esforços. “Com a regionalização do movimento, além de compartilhar experiências positivas, será mais fácil estabelecer parcerias e fortalecer o compromisso da sociedade com a educação, já que muitos moram em uma cidade, mas estudam e trabalham em outra” diz Drouet. 

Para o coordenador, levando em consideração que os habitantes da RMC circulam entre os municípios, é natural que o interesse por melhorias seja coletivo – especialmente no que diz respeito aos sistemas de ensino. “As cidades estão preocupadas com um desenvolvimento regional sustentável e isso só é possível com uma boa escola para nossas crianças e adolescentes”, afirma.

Integrante do Núcleo de Ignição do CCE, a Associação das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Campinas (Transurc) colabora mensalmente para a manutenção do Compromisso e participa das atividades desenvolvidas pelo movimento, que reúne os setores público, privado, organizações sem fins lucrativos e sociedade, com a missão de melhorar substancialmente o desempenho escolar dos alunos das escolas públicas do Ciclo Básico (Educação Infantil + Ensino Fundamental + Ensino Médio) na cidade.

O movimento, que não representa nenhuma empresa, partido político ou órgão governamental, entende que a educação é ingrediente fundamental para que haja promoção e desenvolvimento humano, social e econômico e mobilidade social.

Transurc conseguiu que mais de 14 mil alunos antecipassem o cadastro do Bilhete Único Escolar

 

A Associação das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Campinas (Transurc) realizou, entre os meses de setembro e novembro, o processo de antecipação do Cadastro Escolar para o ano letivo de 2012. Ao todo, 14.674 formulários foram aprovados de um total de 20.449 impressos.

“Com o objetivo de dar maior comodidade aos estudantes que utilizam o benefício do Passe Escolar, a Transurc realiza todos os anos a antecipação do Cadastro Escolar. O número deste ano é bem próximo ao do ano passado (14.907), mas estamos satisfeitos, pois o processo deste ano foi mais rigoroso. Tanto as escolas quanto a Transurc não aceitaram formulários que não estivessem completamente preenchidos ou com todos os documentos exigidos (RG e comprovante de residência)”, explica Paulo Barddal, diretor de Comunicação e Marketing da Transurc.

Para realizar a antecipação, a Transurc encaminhou os formulários para as secretarias das escolas. Os funcionários dos estabelecimentos de ensino participaram do processo verificando a necessidade de renovação de cada aluno e, depois, devolveram os formulários preenchidos daqueles alunos que vão continuar os estudos na mesma escola.

Após a devolução, os dados contidos nos formulários foram analisados pela Transurc e todos os que não apresentaram qualquer tipo de divergência foram aprovados. Os aprovados tiveram suas Cadernetas de Frequência impressas e entregues na secretaria das respectivas escolas.

Os estudantes que não participaram da antecipação, mas desejam obter o benefício, podem retirar o formulário na sede da Transurc (Rua 11 de Agosto, 757, Centro) nos terminais Central, Barão Geraldo, Campo Grande e Ouro Verde ou pelo website www.transurc.com.br a partir do dia 16 de janeiro de 2012.

“O interessado deverá levar o formulário completamente preenchido para ser carimbado na escola e, de posse de todos os documentos necessários, se encaminhar até um dos postos de atendimento mencionados acima”, completa Barddal. O benefício será liberado após 15 dias corridos.

O benefício do Passe Escolar permite aos estudantes matriculados em escolas de ensino Fundamental e Médio, além de cursos profissionalizantes reconhecidos pelo MEC, a compra da passagem com 60% de desconto em relação ao valor da tarifa vigente. Atualmente, 48.514 estudantes fazem uso do Bilhete Único Escolar.


Quem pode utilizar

O Passe Escolar pode ser utilizado pelos estudantes que residam a mais de 1.000 metros do estabelecimento de ensino. O benefício é usufruído pelos alunos que cursam o Ensino Fundamental, Médio, supletivos ou cursos profissionalizantes técnicos de nível médio. O processo de Cadastramento do Passe Escolar é amparado pelo Decreto nº 13.807, de 12 de dezembro de 2001, regulamentado pela Lei nº 9.788, de 2 de julho de 1998.

O Programa Escolas nas Garagens está com suas últimas vagas abertas para o ano de 2011. Os responsáveis pelas escolas públicas estaduais e municipais de Campinas que ainda desejam participar desta experiência inesquecível nos meses de outubro e novembro devem entrar em contato com a Diretoria de Comunicação e Marketing da Associação das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Campinas (Transurc) pelo telefone (19) 3731-2643 ou pelo e-mail marketing@transurc.com.br.

O número de turmas de 4ª série que participará do passeio deverá ser informado. Na semana em que o passeio for realizado, a Transurc entrará em contato com a escola, e solicitará o envio da lista de alunos, das autorizações dos pais ou responsáveis e do nome dos acompanhantes adultos (um para cada grupo de 15 crianças).

No ano de 2010, 11.177 crianças participaram do Escolas nas Garagens. O programa existe desde 2004 e é uma iniciativa da Transurc e das concessionárias do transporte coletivo urbano de Campinas. No passeio, que acontece todos os dias, de manhã e à tarde, os alunos recebem informações sobre cidadania e preservação ambiental, e conhecem pontos históricos da cidade.

Superação e gratidão são características muito fortes de Isabelly Martins dos Santos. A menina, que perdeu as mãos e parte das pernas por conta de uma doença, não esconde a satisfação no encontro semanal com Sandro Rogério da Luz, motorista da Expresso Campibus que dirige o ônibus do Programa de Acessibilidade Inclusiva (PAI) usado no traslado entre sua casa, no bairro Vila União, e o Centro de Reabilitação de Sousas. “O dia em que preciso usar o PAI, me sinto mais feliz. Principalmente se o motorista for o Rogério”, revela a menina.

Com seu jeito brincalhão, o motorista cativa pessoas de todas as idades, tanto que ganhou uma homenagem da garota. “Um determinado dia a Isabelly me trouxe um desenho feito e pintado por ela. Quando olhei, fiquei todo arrepiado. Mesmo diante das dificuldades, ela conseguiu me pintar junto do ônibus do PAI”, conta emocionado.

Para completar, uma frase resumia tudo que a garota sente pelo motorista: “Você é o motorista mais legal que eu já vi. Gosto muito de você”.

Exemplos como o da pequena Isabelly são comuns na vida dos motoristas que, diariamente, encaram a rotina de transportar os usuários do PAI. Para Perone Monteiro, motorista da Onicamp Transporte Coletivo, as amizades feitas geram um vínculo diferente. “Levamos as pessoas para hospitais, clínicas de reabilitação e até para o trabalho. Por isso sentimos na pele as dificuldades pelas quais elas passam. Muitas vezes nós somos conselheiros e ouvintes delas e, por isso, o vínculo criado é bem maior”, explica.
PAIO PAI – é um serviço gratuito oferecido pelas empresas concessionárias do transporte coletivo urbano de Campinas e destinado, exclusivamente, às pessoas com deficiência física severa, associada ou não a outras deficiências, e que se utilizam de cadeira de rodas ou andadores e estejam cadastrados no serviço.

“Mensalmente temos quase 11 mil atendimentos, sendo que cerca de 80% deles de locomoção para hospitais, clínicas de reabilitação, consultas e fisioterapia”, conta Marciano Pereira, encarregado que controla a parte operacional do PAI.

Para utilizar esse serviço, o interessado ou seu responsável deverá preencher uma ficha cadastral fornecida pela Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (Emdec). Nela, além das informações pessoais, há uma avaliação médica, que deve ser preenchida por um profissional (médico) escolhido pelo interessado. As informações serão checadas e analisadas pela Emdec, antes da aprovação do cadastro.

A ficha está disponível no site www.emdec.com.br, ou na sede da empresa, que fica à Rua Dr. Salles Oliveira, 1.028, no bairro Vila Industrial.

Para obter o benefício é necessário que o interessado encaminhe à Emdec cópias do RG ou de outro documento com foto, comprovante de residência e fotografia 3×4 para a emissão da carteira do PAI.

O atendimento do PAI é realizado de segunda a sexta, das 6h às 23h30, e aos sábados, domingos e feriados, das 7h30 às 18h. Para eventos especiais poderão ser agendados outros horários. O agendamento do serviço pode ser feito pelo telefone 3772-1517, que funciona 24 horas por dia.