A Campanha do Agasalho “Doe e aqueça sua alma”, organizada pela Transurc, já entregou mais de três mil peças de roupas para quatro entidades: Instituto Padre Haroldo, Lar dos Velhinhos de Campinas, Centro Social Romília Maria e Centro Corsini. Ontem foi realizada a entrega de 754 peças para a Unidade de Apoio Infantil (UAI) do Centro Corsini. As doações incluíram itens como: blusas de lã, casacos, camisas, calças, calçados e cobertores, e vão ajudar a aquecer as crianças atendidas e seus familiares.

A campanha começou no dia 16 de abril e conta com o reforço da solidariedade de duas escolas particulares de Campinas: o Colégio Básico, no Chapadão, e o Colégio Inovar, no Parque Industrial. As duas escolas promovem a campanha do agasalho junto aos seus alunos, e as doações virão para a triagem e distribuição da Transurc. A agência bancária da Av. Campos Salles, 675 é outro ponto de coleta de doações (veja abaixo a relação completa dos postos de coleta).

A iniciativa desta campanha é da Transurc, do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros da Região Metropolitana de Campinas (SetCamp) e das concessionárias do transporte público de Campinas (VB1, VB3, Pádova, Onicamp, Campibus e Itajaí) e da região (Rápido Luxo Campinas, Rápido Sumaré e Viação Boa Vista), em associação com a Fundação Feac e as Rádios Cidade e Laser FM.

Os donativos podem ser entregues no ônibus com o adesivo da campanha, estacionado no Largo do Rosário, de segunda a sexta-feira, das 8 às 18 horas, e aos sábados, das 8 às 13 horas. Além disso, caixas para recolher as doações estão disponíveis nos terminais de ônibus da cidade e na sede da Transurc, da Feac e nas garagens das concessionárias. A campanha prossegue até 1º de julho.

 

Sobre a UAI do Centro Corsini

A Unidade de Apoio Infantil do Centro Corsini existe desde 1994 e acolhe crianças com patologias gravíssimas que exigem cuidados técnicos especializados e que são atendidas por uma equipe multidisciplinar. É uma instituição sem fins lucrativos, cuja principal fonte de recursos são as doações. Atualmente a entidade acolhe 20 crianças. Entre as peças recebidas da Campanha do Agasalho da Transurc, parte foi encaminhada para as crianças abrigadas e seus familiares e o restante será destinado ao bazar da entidade, que funciona de segunda a sexta, das 8 ao meio-dia. Endereço: avenida Milton Christini, 1848, no Parque Alto Taquaral.

 

Arrecadação recorde em 2017

No ano passado, a Campanha do Agasalho organizada pela Transurc conseguiu uma arrecadação recorde de 19,6 mil peças, doadas diretamente a 24 instituições beneficentes do município. Em 2016, foram 15,5 mil peças e 18 instituições atendidas.

Para divulgar a iniciativa, o ônibus adesivado com a identidade visual da campanha, cedido pelas concessionárias do transporte coletivo, vai permanecer no Largo do Rosário durante todo o período da arrecadação.

Além disso, são feitos anúncios em jornais, divulgação em sites e redes sociais das instituições parceiras e cartazes distribuídos em todos os ônibus, além de painéis instalados nos vidros traseiros dos ônibus (busdoors).

Marcela Doni, responsável pelo Programa Cidadania Ativa e assessora técnica do Centro de Voluntariado Feac, acredita que campanhas como esta são importantes porque sensibilizam as pessoas para a causa do frio, que provoca sofrimento para muitas pessoas e famílias, que não têm como se aquecer.

“Conseguimos despertar o senso de coletividade nas pessoas e estimulá-las a se tornarem agentes de mudança. Afinal, quem participa, além de aquecer muitas famílias, contribui para a realização de bazares e brechós nas entidades, com a renda sendo revertida em mais recursos para estas organizações sociais e para a melhoria do atendimento à população”, avalia Marcela.

A Campanha do Agasalho arrecada roupas, cobertores e sapatos em bom estado para crianças e adultos. Participe desta boa ação!

 

Pontos de coleta:

  • Largo do Rosário
  • Feac
  • Terminal Central
  • Terminal Ouro Verde
  • Terminal Campo Grande
  • Terminal Mercado
  • Terminal Barão Geraldo
  • Terminal Metropolitano
  • Transurc
  • Garagens das concessionárias de ônibus
  • Agência bancária na Avenida Campos Salles, 675
  • Colégio Básico de Campinas
  • Colégio Inovar

O Centro Social Romília Maria, entidade localizada no Jardim das Oliveiras, recebeu nesta sexta-feira (dia 11), 766 peças de roupas doadas pela Campanha do Agasalho “Doe e aqueça sua alma”, organizada pela Transurc. Além das doações serem distribuídas para as crianças atendidas, todo o restante será disponibilizado para venda no brechó que funciona diariamente no local, e cuja renda é toda revertida para o sustento da entidade. “Nós distribuímos as doações primeiro para as nossas crianças, que sempre precisam de sapatos, chinelos, tênis etc, e o restante é vendido no brechó, pois é o que ajuda a cobrir os gastos do dia a dia da entidade”, explica Jane Regina Evangelista Marcelino, coordenadora do Centro Romília Maria.

O Centro Social Romília Maria foi fundado em 1973 e desde então trabalha em prol do desenvolvimento de ações socioeducativas, culturais, de lazer e promoção social, em meio aberto, junto à crianças, adolescentes, adultos, famílias e idosos, contribuindo para o exercício da cidadania ativa. A instituição atua nas imediações da Vila Ipê, em Campinas (SP). Os programas da entidade tem como objetivo desenvolver ações que promovam o bem-estar, a prática da cidadania e a prevenção às situações de risco.

Os donativos para a campanha do agasalho podem ser entregues no ônibus estacionado no Largo do Rosário, de segunda a sexta-feira, das 8 às 18 horas, e aos sábados, das 8 às 13 horas.

Além disso, caixas para recolher as doações estão disponíveis nos terminais de ônibus: Central, Ouro Verde, Campo Grande, Mercado, Barão Geraldo e Metropolitano, e ainda nas sedes da Transurc, da Feac e nas garagens das concessionárias. A campanha prossegue até 1º de julho. Participe, faça sua doação!

A Campanha do Agasalho “Doe e aqueça sua alma”, organizada pela Transurc, realizou na manhã de hoje (08/05) a entrega de 728 peças para o Lar dos Velhinhos de Campinas. As doações incluíram itens como: blusas de lã, casacos, camisas, calças, calçados e cobertores, e vão ajudar a aquecer os 97 velhinhos atendidos pela entidade atualmente.  A  campanha arrecada roupas, cobertores e sapatos em bom estado para crianças e adultos. Participe desta boa ação!

 

Sobre o Lar dos Velhinhos de Campinas

Entidade que atende, em regime asilar, idosos de ambos os sexos em situação de vulnerabilidade social e sem a possibilidade de autocusteio. Trata-se de uma Organização da Sociedade Civil, sem fins lucrativos, administrada por uma diretoria voluntária e que conta com a colaboração da comunidade e algumas empresas parceiras para a sua manutenção. Possui uma infraestrutura ampla e acolhedora, localizada em uma área arborizada com mais de 70 mil m², proporciona aos atendidos uma melhor qualidade de vida.

Inaugurado em dezembro de 1905 como “Asylo de Inválidos”, passou a se chamar Lar dos Velhinhos de Campinas em 1972, já que a maior parte dos carentes em abandono que chegavam para serem atendidos no local era de idosos. Com isso, a entidade se especializou ao longo dos anos no atendimento aos velhinhos, sendo uma referência nacional entre as instituições de longa permanência.

 

Pontos de coleta da campanha “Doe e aqueça sua alma”:

  • Largo do Rosário
  • Feac
  • Terminal Central
  • Terminal Ouro Verde
  • Terminal Campo Grande
  • Terminal Mercado
  • Terminal Barão Geraldo
  • Terminal Metropolitano
  • Transurc
  • Garagens das concessionárias de ônibus

O Instituto Padre Haroldo é a primeira instituição beneficiada pela Campanha do Agasalho “Doe e aqueça sua alma”, organizada pela Transurc. A entidade recebeu hoje a doação de cerca de 785 peças, que vão tornar mais quente o inverno das crianças atendidas.

A campanha começou no dia 16 de abril e já conta com o reforço da solidariedade de duas escolas particulares de Campinas: o Colégio Básico, no Chapadão, e o Colégio Inovar, no Parque Industrial. As duas escolas promovem a campanha do agasalho junto aos seus alunos, e as doações virão para a triagem e distribuição da Transurc.

A Campanha “Doe e aqueça sua alma” é uma iniciativa da Transurc, do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros da Região Metropolitana de Campinas (SetCamp) e das concessionárias do transporte público de Campinas (VB1, VB3, Pádova, Onicamp, Campibus e Itajaí) e da região (Rápido Luxo Campinas, Rápido Sumaré e Viação Boa Vista), em associação com a Fundação Feac e as Rádios Cidade e Laser.

Os donativos podem ser entregues no ônibus com o adesivo da campanha, estacionado no Largo do Rosário, de segunda a sexta-feira, das 8 às 18 horas, e aos sábados, das 8 às 13 horas.

Além disso, caixas para recolher as doações estão disponíveis nos terminais de ônibus: Central, Ouro Verde, Campo Grande, Mercado, Barão Geraldo e Metropolitano, e ainda nas sedes da Transurc, da Feac e nas garagens das concessionárias. A campanha prossegue até 1º de julho.

No ano passado, a Campanha do Agasalho organizada pela Transurc conseguiu uma arrecadação recorde de 19,6 mil peças, doadas diretamente a 24 instituições beneficentes do município. Em 2016, foram 15,5 mil peças e 18 instituições atendidas.

Para divulgar a iniciativa, o ônibus adesivado com a identidade visual da campanha, cedido pelas concessionárias do transporte coletivo, vai permanecer no Largo do Rosário durante todo o período da arrecadação.

Além disso, nos próximos dois meses haverá também anúncios em jornais, divulgação em sites e redes sociais das instituições parceiras e cartazes distribuídos em todos os ônibus, além de painéis instalados nos vidros traseiros dos ônibus (busdoors).

Marcela Doni, responsável pelo Programa Cidadania Ativa e assessora técnica do Centro de Voluntariado Feac, acredita que campanhas como esta são importantes porque sensibilizam as pessoas para a causa do frio, que provoca sofrimento para muitas pessoas e famílias, que não têm como se aquecer.

“Conseguimos despertar o senso de coletividade nas pessoas e estimulá-las a se tornarem agentes de mudança. Afinal, quem participa, além de aquecer muitas famílias, contribui para a realização de bazares e brechós nas entidades, com a renda sendo revertida em mais recursos para estas organizações sociais e para a melhoria do atendimento à população”, avalia Marcela.

Entre as próximas entidades beneficiadas pela campanha estão o Centro Corsini, o Centro Social Romília Maria, o Cepromm e o Lar dos Velhinhos. A Campanha do Agasalho arrecada roupas, cobertores e sapatos em bom estado para crianças e adultos. Participe desta boa ação!

 

Pontos de coleta:

  • Largo do Rosário
  • Feac
  • Terminal Central
  • Terminal Ouro Verde
  • Terminal Campo Grande
  • Terminal Mercado
  • Terminal Barão Geraldo
  • Terminal Metropolitano
  • Transurc
  • Garagens das concessionárias de ônibus

 

Sobre o Instituto Padre Haroldo (IPH)

 

Fundado em 1978 pelo Padre Haroldo Rahm, o Instituto Padre Haroldo (IPH) é uma entidade filantrópica que desenvolve trabalhos na área de prevenção, cuidados e educação com populações socialmente vulneráveis e/ou em risco social. Atende desde bebês e crianças a partir de 6 anos, adolescentes, jovens e adultos.

Surgiu para atuar na recuperação de dependentes químicos, mas expandiu sua atuação para um programa de prevenção com crianças e adolescentes e abriu serviços de acolhimento em regime residencial. Atua por meio de atividades voltadas ao esporte, lazer, arte e cultura e do desenvolvimento de competências que fortalecem as comunidades onde atua.

A entidade agradece todo o tipo de doações, pois os itens que não servem para doação imediata para os atendidos são disponibilizados para venda no bazar. As roupas masculinas são as mais necessárias para a instituição, que atualmente atende 150 homens, segundo a gestora administrativa do IPH, Myriam Maldonado Martins. “Nós sempre precisamos de roupas, pois muitos chegam aqui para o tratamento só com a roupa do corpo. Além disso, é comum eles engordarem durante a estadia e perderem as roupas que usavam antes”, explica a gestora.

Começou hoje a Campanha do Agasalho 2018 da Transurc: “Doe e aqueça sua alma”. Uma iniciativa da Transurc, do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros da Região Metropolitana de Campinas (SetCamp) e das concessionárias do transporte público de Campinas (VB1, VB3, Onicamp, Campibus e Itajaí) e da região (Rápido Luxo Campinas, Rápido Sumaré e Viação Boa Vista), em associação com a Fundação Feac e a Rádio Cidade Laser.

Os donativos poderão ser entregues no ônibus com o adesivo da campanha que ficará estacionado no Largo do Rosário, de segunda a sexta-feira, das 8 às 18 horas, e aos sábados, das 8 às 13 horas.

Além disso, caixas para recolher as doações também estarão disponíveis nos terminais de ônibus: Central, Ouro Verde, Campo Grande, Mercado, Barão Geraldo e Metropolitano, e ainda nas sedes da Transurc, da Feac e nas garagens das concessionárias. A campanha prossegue até 1º de julho.

No ano passado, a Campanha do Agasalho organizada pela Transurc conseguiu uma arrecadação recorde de 19,6 mil peças, doadas diretamente a 24 instituições beneficentes do município. Em 2016, foram 15,5 mil peças e 18 instituições atendidas. A Campanha do Agasalho arrecada roupas, cobertores e sapatos em bom estado para crianças e adultos.

Para divulgar a iniciativa, o ônibus adesivado com a identidade visual da campanha, cedido pelas concessionárias do transporte coletivo, vai permanecer no Largo do Rosário durante todo o período da arrecadação. Além disso, nos próximos dois meses haverá também anúncios em jornais, divulgação em sites e redes sociais das instituições parceiras e cartazes distribuídos em todos os ônibus, além de painéis instalados nos vidros traseiros dos ônibus (busdoors).

As primeiras entidades beneficiadas com a campanha serão o Centro Corsini, o Centro Social Romília Maria, o Cepromm, o Lar dos Velhinhos e o Instituto Padre Haroldo.

 

Pontos de coleta:

 

  • Largo do Rosário
  • Feac
  • Terminal Central
  • Terminal Ouro Verde
  • Terminal Campo Grande
  • Terminal Mercado
  • Terminal Barão Geraldo
  • Terminal Metropolitano
  • Transurc
  • Garagens das concessionárias de ônibus

 

Todos os dias, há mais de 20 anos, a enfermeira aposentada Maria Barbosa Caraca, moradora do bairro Bonfim, pega dois ônibus para passar as manhãs com a filha Elisabeth, que mora no DIC 1. Neste trajeto, dona Maria, fez muitos amigos, como os motoristas de ônibus das linhas que ligam seu bairro, o Bonfim a região dos DICs. Com sua doçura, atenção e sabedoria, ela conquistou a todos! Por isso, no dia 28 de março, quando ela completou 89 anos, um grupo de motoristas da VB1 se reuniu para homenageá-la.

Eles fizeram uma festa com direito a bolo, refrigerantes, cesta de petiscos e muito carinho. “Ela é uma pessoa que a gente admira. Uma senhorinha muito inteligente, conversa com a gente, dá conselhos e ainda ajuda os motoristas durante o percurso”, conta Cícero Cláudio Deodato Rodrigues, que trabalha na linha 117 – DIC VI, há 6 anos. Ele conta que conhece tão bem Dona Maria, que chegou a perceber que ela não estava bem de saúde em certa ocasião, tendo avisado a filha dela.

Dona Maria foi enfermeira durante muitos anos no Centro de Saúde São José. Por isso, muitos a conhecem como “Dona Maria do postinho São José”. A filha Elisabeth mora há 25 anos no DIC I, bem pertinho do ponto final do ônibus, e sua mãe gosta de passar todas as manhãs com ela. Sai às 4h30 da madrugada de casa, pega dois ônibus pra chegar à casa da filha às 6h. E só retorna para sua casa após o almoço.

Como esta rotina já dura tantos anos, ela virou amiga de todos os motoristas das linhas de ônibus que atuam na região, principalmente os da 117. Senta-se sempre no primeiro banco do lado direito, de onde ainda auxilia o motorista avisando quando o trânsito está liberado, nos cruzamentos.

O motorista mais querido é Jair Gilberto Andreotti, que atende a linha 117 há 12 anos e foi o  merecedor da primeira fatia de bolo. “Tem muita gente boa que pega ônibus diariamente, mas a dona Maria é unanimidade: todos gostam dela!”, afirma.

Jair conta ainda que dona Maria faz até os motoristas cantarem pra ela. “A música predileta é Panela Velha (música que ficou nacionalmente conhecida na voz do cantor Sérgio Reis). Ela adora!”, conta. Além disso, ela já chegou a levar várias vezes, água, bolo e até pão de queijo para os motoristas.

Sempre faz questão de cumprimentar todos que cruzam seu caminho. Com poucas palavras, dona Maria mostra sua simplicidade: “O mundo é bom quando a gente sabe viver”, diz a idosa, que ressalta a importância de todas as pessoas se tratarem com carinho e respeito.

A empresa VB1, responsável pela linha 117, também parabeniza a Dona Maria por seu aniversário de 89 anos e agradece o carinho e respeito que ela trata os motoristas de ônibus. A empresa também agradece aos motoristas, como Jair Andreotti, por exercerem seu trabalho com respeito aos usuários mais idosos.

Para as operadoras de ônibus da cidade, a ação de vândalos já é rotina. Diariamente chegam às garagens veículos danificados por pichações na lataria ou nos bancos, com estiletadas nos estofados ou vidros quebrados por pedras, chutes ou socos e vários outros estragos.

Estima-se que todas as operadoras de ônibus juntas gastem mais de R$ 1 milhão por ano, só nos reparos dos veículos depredados pela ação dos vândalos. Porém tais atos prejudicam principalmente os usuários, já que o reflexo imediato é a retirada do veículo danificado para o conserto, o que provoca atrasos e falta de ônibus nas linhas.

Gilberto Cassoli de Oliveira, coordenador da Manutenção da VB3, explica que um ônibus depredado costuma ficar no mínimo três dias parado para os reparos. “São três dias que esse carro fica recolhido na garagem, sem atender a população. E isso quando precisamos apenas fazer a limpeza das pichações na lataria e nos bancos, e o reparo de materiais mais simples. Se o estrago ocorre com alguma peça que temos de encomendar no fornecedor, esse tempo pode ser ainda maior”, explica.

Os casos com registro em Boletim de Ocorrência mais frequentes são apedrejamentos, normalmente realizados por pessoas nas ruas, quando os veículos estão em movimento. Nesses casos, o que mais ocorre são vidros quebrados ou estragos em faróis e lataria amassada.

Já pichações, rabiscos e danos a bancos, alçapões, lacres das janelas de emergência e câmeras de monitoramento ocorrem diariamente em todas as empresas, e acabam não entrando nas estatísticas oficiais. “É um patrimônio público sendo destruído dia a dia”, avalia Oliveira.

E esses estragos são rotineiros em todas as empresas do sistema: VB3 e VB1 Transportes e Turismo, Itajaí Transportes Coletivos, Onicamp Transporte Coletivo, Coletivos Pádova e Expresso Campibus. A soma dos gastos com as depredações revela números alarmantes, os quais poderiam estar sendo investidos em melhorias para os usuários.

Antônio Jambeiro Peralva, gerente de Operações da Onicamp Transporte Coletivo, confirma que problemas com vandalismo são constantes. “Recentemente um homem danificou o vidro da porta do ônibus porque o motorista negou carona. E o estrago prejudica justamente quem usa o ônibus no dia a dia, e paga pelo serviço”, avalia.

Valdete Barbosa, coordenadora de Treinamento e Qualidade da VB3, lembra ainda que é comum ocorrerem agressões aos motoristas quando eles tentam evitar atos de vandalismo nos ônibus.

Vandalismo é crime

A Lei municipal nº 15.111, promulgada no fim de 2015, estabelece que pessoas flagradas cometendo atos de vandalismo contra ônibus podem pagar multa de 800 Unidades Fiscais de Campinas (Ufics), o que equivale a R$ 2.700,00. São considerados atos de vandalismo pintar, pichar, grafitar, rabiscar, escrever, desenhar, utilizando qualquer tipo de material que altere a característica original do veículo. E também: depredar, deteriorar, danificar e inutilizar ônibus, por meios próprios ou com o auxílio de qualquer objeto.

Além da multa, serão cobrados os gastos com a limpeza e a restauração do ônibus. A multa poderá ser substituída pela pena de limpeza e/ou restauração, caso o infrator repare imediatamente o dano causado e não seja reincidente. Em caso de reincidência, a multa será dobrada na primeira reincidência e quadruplicada a partir da segunda reincidência. Caso o infrator seja menor de idade, seus responsáveis legais responderão solidariamente pelos danos.

Denúncias

Denúncias de infrações disciplinadas na Lei 15.111 poderão ser efetuadas pelos telefones 153 e 156, bem como na página eletrônica da Prefeitura Municipal de Campinas: www.campinas.sp.gov.br.

Estragos nos últimos 15 meses na VB1

 

1.133 vidros

952 portas

858 bancos

162 balaústres

61 acentos

60 frisos

11 câmeras

6 alçapões

30 mil estudantes de Campinas já desfrutam o benefício de desconto nas tarifas de ônibus este ano, com a utilização do Bilhete Único Escolar e do Bilhete Único Universitário. Do total de cartões aprovados, 10 mil são destinados a estudantes universitários e os 20 mil restantes a alunos dos ensinos Fundamental, Médio e de cursos técnicos.

No mês de março, o maior movimento na Transurc para retirada de Bilhete Único por estudantes foi de universitários, já que as aulas das escolas públicas de ensino Fundamental, Médio e Técnico começaram em fevereiro e a maioria destes estudantes já providenciou o benefício.

A estudante de Ciências Biológicas da PUC Campinas Wanderli Daiane Dias, por exemplo, foi buscar seu benefício no último dia 15 de março e vai usar o passe para se locomover para a faculdade diariamente. Flavia Mendes Reis, também estudante da PUC Campinas, solicitou o benefício para ir até suas aulas, no curso de Veterinária. “Além de ter o desconto, é bem mais prático e seguro usar o passe, porque evita ter de usar dinheiro e fazer o motorista dar troco pra gente.”

Para orientar estudantes durante o processo de solicitação do passe, a Transurc disponibiliza um guia passo a passo no site www.transurc.com.br. O objetivo é antecipar eventuais dúvidas dos estudantes. Entre os itens que mais geram inconformidade no cadastramento estão comprovantes de endereço antigos (eles devem ter no máximo seis meses) e fotos fora da especificação (elas devem ser frontais, sem cabelo encobrindo o rosto e com a boca fechada).

O estudante que precisa atualizar seu cadastro, ou fazê-lo pela primeira vez, deve acessar o guia e, caso ainda tenha dúvidas, deve entrar em contato com o Disque-Transurc, pelo 0800 014 0204, por meio de um telefone fixo ou orelhão. Além de preencher corretamente o cadastro, que será validado pela Transurc e pelas escolas ou universidades, é preciso pagar a taxa de serviço. Só depois disso o cartão será liberado para recarga.

O Programa Escolas nas Garagens já está com a agenda lotada para o período da manhã, para todo o primeiro semestre deste ano. Para o passeio à tarde ainda há algumas vagas. A atividade recebeu 39 inscrições para este período do ano.

A Transurc e as concessionárias de transporte público de Campinas desenvolvem desde 2004 o Programa Escolas nas Garagens, que é dirigido a alunos do 5° ano do Ensino Fundamental. Já foram atendidas, desde o início, cerca de 130 mil crianças das principais escolas públicas de Campinas. O objetivo é promover cidadania e conscientizar as crianças sobre a importância de preservação do bem público.

Nos passeios, as crianças aprendem a respeitar o meio ambiente e a valorizar o transporte público. Entre as ações promovidas pelo Escolas nas Garagens estão uma peça de teatro e o concurso de pintura do mascote Businho, como forma de valorizar entre as crianças o apreço e respeito ao patrimônio público. Elas também aprendem sobre a história da cidade, conhecem o maestro Carlos Gomes e visitam uma garagem de ônibus, onde conhecem o seu funcionamento e todo o processo de manutenção dos veículos.

O programa consiste em um passeio de ônibus de meio período, com embarque feito na própria escola. Na sequência, o grupo faz uma parada no Centro e depois visita uma garagem de ônibus. Ao fim do passeio, no retorno à escola, os alunos recebem um kit escolar com caneta, régua, adesivos e cadernos. 

No concurso de pintura do Businho, o autor do melhor trabalho ganha, para ele e para a família, um passeio na maria-fumaça até Jaguariúna, cortesia da Associação Brasileira de Preservação Ferroviária (ABPF), parceira do programa. Outra parceira é a Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (Emdec).

No ano passado, participaram quase 5 mil crianças de 71 escolas de Campinas. As interessadas em participar devem entrar em contato com a Diretoria de Comunicação da Transurc pelo telefone 3731-2643. Para participar, é preciso enviar a lista de alunos, com autorizações dos pais ou responsáveis, e os nomes dos acompanhantes (um para cada grupo de 15 crianças).

Mais de 25 mil estudantes de Campinas já desfrutam do benefício de desconto nas tarifas de ônibus este ano, com a utilização do Bilhete Único Escolar e do Bilhete Único Universitário. Do total de cartões aprovados, 8,5 mil são destinados a estudantes universitários e os 16,8 mil restantes a alunos dos ensinos Fundamental, Médio e Cursos Técnicos.

Para orientar estudantes durante o processo de solicitação do passe, a Transurc disponibiliza um guia passo a passo no site www.transurc.com.br. O objetivo é antecipar eventuais dúvidas dos estudantes. Entre os itens que mais geram inconformidade no cadastramento estão comprovantes de endereço antigos (eles devem ter no máximo seis meses) e fotos fora da especificação (elas devem ser frontais, sem cabelo encobrindo o rosto e com a boca fechada).

O estudante que precisa atualizar seu cadastro ou fazê-lo pela primeira vez, deve acessar o guia e, caso ainda tenha dúvidas, ele deve entrar em contato com o Disque Transurc, pelo 0800-0140204, por meio de um telefone fixo ou telefone público. Além de preencher corretamente o cadastro, que será validado pela Transurc e pelas escolas ou universidades, é preciso pagar a taxa de serviço. Só depois disso o cartão será liberado para recarga.

 

Quem pode utilizar

O Bilhete Único Escolar pode ser usado pelos estudantes dos ensinos Fundamental, Médio e de cursos técnicos da rede oficial e particular, e propicia um desconto de 60% na tarifa de ônibus.  É oferecido para os alunos que residem a mais de 1.000 metros do estabelecimento de ensino.

Os estudantes universitários que frequentam aulas em regime presencial integral também precisam se cadastrar pelo site para ter direito ao Bilhete Único Universitário, que concede um desconto de 50% na tarifa. O interessado também deve morar em Campinas, estar regularmente matriculado em instituição de Ensino Superior do município e residir a mais de 1 km da universidade. Mesmo os estudantes que usufruíram o benefício em 2017 devem se recadastrar pelo site.

 

Principais motivos para o indeferimento de solicitações

1)      Documentação ilegível

2)      Cópias incompletas de documentos

3)      Cópias de comprovante de endereço inválidas (sem comprovação de parentesco, ilegíveis etc)

4)      Fotografias fora do padrão

5)      Estudante que mora há menos de mil metros da escola

6)      Falta de declaração de matrícula atual no caso dos cursos técnicos