Para as operadoras de ônibus da cidade, a ação de vândalos já é rotina. Diariamente chegam às garagens veículos danificados por pichações na lataria ou nos bancos, com estiletadas nos estofados ou vidros quebrados por pedras, chutes ou socos e vários outros estragos.

Estima-se que todas as operadoras de ônibus juntas gastem mais de R$ 1 milhão por ano, só nos reparos dos veículos depredados pela ação dos vândalos. Porém tais atos prejudicam principalmente os usuários, já que o reflexo imediato é a retirada do veículo danificado para o conserto, o que provoca atrasos e falta de ônibus nas linhas.

Gilberto Cassoli de Oliveira, coordenador da Manutenção da VB3, explica que um ônibus depredado costuma ficar no mínimo três dias parado para os reparos. “São três dias que esse carro fica recolhido na garagem, sem atender a população. E isso quando precisamos apenas fazer a limpeza das pichações na lataria e nos bancos, e o reparo de materiais mais simples. Se o estrago ocorre com alguma peça que temos de encomendar no fornecedor, esse tempo pode ser ainda maior”, explica.

Os casos com registro em Boletim de Ocorrência mais frequentes são apedrejamentos, normalmente realizados por pessoas nas ruas, quando os veículos estão em movimento. Nesses casos, o que mais ocorre são vidros quebrados ou estragos em faróis e lataria amassada.

Já pichações, rabiscos e danos a bancos, alçapões, lacres das janelas de emergência e câmeras de monitoramento ocorrem diariamente em todas as empresas, e acabam não entrando nas estatísticas oficiais. “É um patrimônio público sendo destruído dia a dia”, avalia Oliveira.

E esses estragos são rotineiros em todas as empresas do sistema: VB3 e VB1 Transportes e Turismo, Itajaí Transportes Coletivos, Onicamp Transporte Coletivo, Coletivos Pádova e Expresso Campibus. A soma dos gastos com as depredações revela números alarmantes, os quais poderiam estar sendo investidos em melhorias para os usuários.

Antônio Jambeiro Peralva, gerente de Operações da Onicamp Transporte Coletivo, confirma que problemas com vandalismo são constantes. “Recentemente um homem danificou o vidro da porta do ônibus porque o motorista negou carona. E o estrago prejudica justamente quem usa o ônibus no dia a dia, e paga pelo serviço”, avalia.

Valdete Barbosa, coordenadora de Treinamento e Qualidade da VB3, lembra ainda que é comum ocorrerem agressões aos motoristas quando eles tentam evitar atos de vandalismo nos ônibus.

Vandalismo é crime

A Lei municipal nº 15.111, promulgada no fim de 2015, estabelece que pessoas flagradas cometendo atos de vandalismo contra ônibus podem pagar multa de 800 Unidades Fiscais de Campinas (Ufics), o que equivale a R$ 2.700,00. São considerados atos de vandalismo pintar, pichar, grafitar, rabiscar, escrever, desenhar, utilizando qualquer tipo de material que altere a característica original do veículo. E também: depredar, deteriorar, danificar e inutilizar ônibus, por meios próprios ou com o auxílio de qualquer objeto.

Além da multa, serão cobrados os gastos com a limpeza e a restauração do ônibus. A multa poderá ser substituída pela pena de limpeza e/ou restauração, caso o infrator repare imediatamente o dano causado e não seja reincidente. Em caso de reincidência, a multa será dobrada na primeira reincidência e quadruplicada a partir da segunda reincidência. Caso o infrator seja menor de idade, seus responsáveis legais responderão solidariamente pelos danos.

Denúncias

Denúncias de infrações disciplinadas na Lei 15.111 poderão ser efetuadas pelos telefones 153 e 156, bem como na página eletrônica da Prefeitura Municipal de Campinas: www.campinas.sp.gov.br.

Estragos nos últimos 15 meses na VB1

 

1.133 vidros

952 portas

858 bancos

162 balaústres

61 acentos

60 frisos

11 câmeras

6 alçapões

30 mil estudantes de Campinas já desfrutam o benefício de desconto nas tarifas de ônibus este ano, com a utilização do Bilhete Único Escolar e do Bilhete Único Universitário. Do total de cartões aprovados, 10 mil são destinados a estudantes universitários e os 20 mil restantes a alunos dos ensinos Fundamental, Médio e de cursos técnicos.

No mês de março, o maior movimento na Transurc para retirada de Bilhete Único por estudantes foi de universitários, já que as aulas das escolas públicas de ensino Fundamental, Médio e Técnico começaram em fevereiro e a maioria destes estudantes já providenciou o benefício.

A estudante de Ciências Biológicas da PUC Campinas Wanderli Daiane Dias, por exemplo, foi buscar seu benefício no último dia 15 de março e vai usar o passe para se locomover para a faculdade diariamente. Flavia Mendes Reis, também estudante da PUC Campinas, solicitou o benefício para ir até suas aulas, no curso de Veterinária. “Além de ter o desconto, é bem mais prático e seguro usar o passe, porque evita ter de usar dinheiro e fazer o motorista dar troco pra gente.”

Para orientar estudantes durante o processo de solicitação do passe, a Transurc disponibiliza um guia passo a passo no site www.transurc.com.br. O objetivo é antecipar eventuais dúvidas dos estudantes. Entre os itens que mais geram inconformidade no cadastramento estão comprovantes de endereço antigos (eles devem ter no máximo seis meses) e fotos fora da especificação (elas devem ser frontais, sem cabelo encobrindo o rosto e com a boca fechada).

O estudante que precisa atualizar seu cadastro, ou fazê-lo pela primeira vez, deve acessar o guia e, caso ainda tenha dúvidas, deve entrar em contato com o Disque-Transurc, pelo 0800 014 0204, por meio de um telefone fixo ou orelhão. Além de preencher corretamente o cadastro, que será validado pela Transurc e pelas escolas ou universidades, é preciso pagar a taxa de serviço. Só depois disso o cartão será liberado para recarga.

O Programa Escolas nas Garagens já está com a agenda lotada para o período da manhã, para todo o primeiro semestre deste ano. Para o passeio à tarde ainda há algumas vagas. A atividade recebeu 39 inscrições para este período do ano.

A Transurc e as concessionárias de transporte público de Campinas desenvolvem desde 2004 o Programa Escolas nas Garagens, que é dirigido a alunos do 5° ano do Ensino Fundamental. Já foram atendidas, desde o início, cerca de 130 mil crianças das principais escolas públicas de Campinas. O objetivo é promover cidadania e conscientizar as crianças sobre a importância de preservação do bem público.

Nos passeios, as crianças aprendem a respeitar o meio ambiente e a valorizar o transporte público. Entre as ações promovidas pelo Escolas nas Garagens estão uma peça de teatro e o concurso de pintura do mascote Businho, como forma de valorizar entre as crianças o apreço e respeito ao patrimônio público. Elas também aprendem sobre a história da cidade, conhecem o maestro Carlos Gomes e visitam uma garagem de ônibus, onde conhecem o seu funcionamento e todo o processo de manutenção dos veículos.

O programa consiste em um passeio de ônibus de meio período, com embarque feito na própria escola. Na sequência, o grupo faz uma parada no Centro e depois visita uma garagem de ônibus. Ao fim do passeio, no retorno à escola, os alunos recebem um kit escolar com caneta, régua, adesivos e cadernos. 

No concurso de pintura do Businho, o autor do melhor trabalho ganha, para ele e para a família, um passeio na maria-fumaça até Jaguariúna, cortesia da Associação Brasileira de Preservação Ferroviária (ABPF), parceira do programa. Outra parceira é a Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (Emdec).

No ano passado, participaram quase 5 mil crianças de 71 escolas de Campinas. As interessadas em participar devem entrar em contato com a Diretoria de Comunicação da Transurc pelo telefone 3731-2643. Para participar, é preciso enviar a lista de alunos, com autorizações dos pais ou responsáveis, e os nomes dos acompanhantes (um para cada grupo de 15 crianças).

Mais de 25 mil estudantes de Campinas já desfrutam do benefício de desconto nas tarifas de ônibus este ano, com a utilização do Bilhete Único Escolar e do Bilhete Único Universitário. Do total de cartões aprovados, 8,5 mil são destinados a estudantes universitários e os 16,8 mil restantes a alunos dos ensinos Fundamental, Médio e Cursos Técnicos.

Para orientar estudantes durante o processo de solicitação do passe, a Transurc disponibiliza um guia passo a passo no site www.transurc.com.br. O objetivo é antecipar eventuais dúvidas dos estudantes. Entre os itens que mais geram inconformidade no cadastramento estão comprovantes de endereço antigos (eles devem ter no máximo seis meses) e fotos fora da especificação (elas devem ser frontais, sem cabelo encobrindo o rosto e com a boca fechada).

O estudante que precisa atualizar seu cadastro ou fazê-lo pela primeira vez, deve acessar o guia e, caso ainda tenha dúvidas, ele deve entrar em contato com o Disque Transurc, pelo 0800-0140204, por meio de um telefone fixo ou telefone público. Além de preencher corretamente o cadastro, que será validado pela Transurc e pelas escolas ou universidades, é preciso pagar a taxa de serviço. Só depois disso o cartão será liberado para recarga.

 

Quem pode utilizar

O Bilhete Único Escolar pode ser usado pelos estudantes dos ensinos Fundamental, Médio e de cursos técnicos da rede oficial e particular, e propicia um desconto de 60% na tarifa de ônibus.  É oferecido para os alunos que residem a mais de 1.000 metros do estabelecimento de ensino.

Os estudantes universitários que frequentam aulas em regime presencial integral também precisam se cadastrar pelo site para ter direito ao Bilhete Único Universitário, que concede um desconto de 50% na tarifa. O interessado também deve morar em Campinas, estar regularmente matriculado em instituição de Ensino Superior do município e residir a mais de 1 km da universidade. Mesmo os estudantes que usufruíram o benefício em 2017 devem se recadastrar pelo site.

 

Principais motivos para o indeferimento de solicitações

1)      Documentação ilegível

2)      Cópias incompletas de documentos

3)      Cópias de comprovante de endereço inválidas (sem comprovação de parentesco, ilegíveis etc)

4)      Fotografias fora do padrão

5)      Estudante que mora há menos de mil metros da escola

6)      Falta de declaração de matrícula atual no caso dos cursos técnicos

A partir deste sábado, usuários que saem do Terminal Central terão de pagar as passagens de ônibus com QR Code ou Bilhete Único, conforme determinação da Emdec

Os usuários de ônibus já podem comprar o QR Code (Quick Response Code: Código de Resposta Rápida na sigla em inglês) por meio de um smartphone. Basta baixar o app Transurc Smart, já disponível na plataforma Android e, em seguida, efetuar a compra com cartão de crédito. Com o QR Code na tela do celular, é só passar a imagem bidimensional em um dos leitores instalados dentro dos ônibus, antes de passar pela catraca.

A novidade vai facilitar a vida dos usuários, que a partir deste sábado, não poderão mais pagar as passagens com dinheiro nas 40 linhas que partem do Terminal Central. O pagamento só poderá ser feito com o QR Code ou com algum dos cartões da família Bilhete Único – Vale-Transporte, Comum, Escolar, Universitário, Idoso, Gratuito ou Especial.

A medida vai beneficiar, no início, apenas os usuários dos 225 ônibus que trafegam pelo Terminal Central, mas irá se estender para toda a cidade posteriormente, e tornará mais ágil o embarque de passageiros, além de reduzir a ocorrência dos assaltos em ônibus.

Como a grande maioria dos usuários de Campinas já se utiliza de um dos cartões eletrônicos da família Bilhete Único, menos de 10% dos usuários terão de viajar usando o QR Code ou, se preferirem, fazer o cartão Bilhete Único Comum de forma gratuita. No próprio Terminal Central, além do posto da Transurc, serão colocados dois pontos extras de cadastramento para tornar ainda mais rápida e cômoda a confecção do cartão.

Em breve, toda a Rede Credenciada Transurc comercializará o QR Code. A princípio, 19 credenciados no entorno do Terminal Central estarão comercializando o tíquete QR Code em papel (confira relação abaixo).

O tíquete está à venda também nos postos dos terminais Central, Mercado, Ouro Verde, Barão Geraldo, Campo Grande e Metropolitano, na sede da Transurc, e no Poupatempo do Centro e do Campinas Shopping.

No Terminal Central, funcionários da Transurc venderão o QR Code nas plataformas de embarque dos ônibus até as 21 horas, enquanto o posto da Transurc funcionará todos os dias, das 5h às 23 horas. Além disso, serão instaladas duas ilhas de atendimento para quem quiser fazer o Bilhete Único na hora.

Vantagens do BU
Mais de 90% dos usuários de ônibus de Campinas já utilizam o Bilhete Único por conta das vantagens que ele oferece. Com o cartão comum, a passagem custa R$ 4,30, ao passo que, no pagamento pelo QR Code, o valor é de R$ 4,70. Além disso, o BU proporciona a integração, ou seja, o uso de um segundo ônibus por um período de duas horas, pagando uma tarifa. Apenas a partir da segunda integração nesse período (embarque no terceiro ônibus) é cobrado o valor de R$ 0,40. O benefício é válido para todos os dias da semana.

Outra vantagem é a segurança a motoristas e passageiros, ao reduzir o volume de dinheiro em circulação nos ônibus. Além disso, com o cartão, também é possível realizar até duas viagens mesmo sem saldo (o débito das passagens será feito na próxima recarga).

O Bilhete Único Comum é gratuito e pode ser feito por qualquer pessoa, mesmo não residente em Campinas, com a apresentação de CPF e RG.

Agilidade no embarque

O QR Code é um código de barras bidimensional, impresso em papel ou imagem que estará disponível no smartphone, que substitui o pagamento em dinheiro dentro dos ônibus. Além de tornar mais ágil o embarque de passageiros, o sistema aumenta a segurança no transporte coletivo, pois acaba com a movimentação de dinheiro nos ônibus.

Todos os validadores dos ônibus que operam no sistema já estão equipados com leitor de tíquete QR Code. O investimento no novo sistema foi de R$ 1,5 mil por veículo.
O QR Code tem validade de 30 dias, contados a partir da data da emissão.

Confira a lista dos credenciados que venderão o QR Code no entorno do Terminal Central:

1. A Maranata Livraria Evangélica – Rua Treze de Maio, 130
2. Açougue Megacarnes – Praça Marechal Floriano Peixoto, 302
3. Arcadia Café – Rua Conceição, 16
4. Banca Barboza – Rua Cônego Cipião, 157
5. Banca Bem-vindo – Rua Dr. Costa Aguiar, 701
6. Banca da Alessandra – Rua José Paulino, s/nº, esquina com Avenida Dr. Moraes Sales
7. Banca da Vó – Avenida Senador Saraiva, 444
8. Banca do Álvaro – Avenida Ferreira Penteado, FT.773
9. Banca do Vinagre – Rua Costa Aguiar, box 9, 600
10. Banca Lima – Avenida Franscisco Glicério, 919
11. Banca Mogiana – Rua José Paulino, 1.655
12. Banca Nico – Avenida Francisco Glicério, 601
13. Banca Sacramento – Rua Engenheiro Saturnino de Brito, 313
14. Cantinho do Espeto – Avenida Dr. Campos Sales, 564
15. Casa do Norte – Rua Cônego Cipião, s/nº, box 33
16. Farmacenter – Avenida Dr. Campos Sales, 312
17. Farmácia Salles – Avenida Dr. Campos Sales, 402
18. VHY Comércio – Rua Ferreira Penteado, 390
19. Banca do Miro – Avenida Dr. Campos Sales, 663

A partir deste sábado, o pagamento das passagens nos ônibus não poderá mais ser feito com dinheiro para quem embarcar em alguma das 40 linhas que partem do Terminal Central. As passagens só poderão ser pagas com o QR Code ou algum dos cartões da família Bilhete Único – Vale-Transporte, Comum, Escolar, Universitário, Idoso, Gratuito ou Especial.

A medida vai atingir, no início, apenas os 225 ônibus que trafegam pelo Terminal Central, mas irá se estender para toda a cidade posteriormente, e tornará mais ágil o embarque de passageiros, além de reduzir muito a ocorrência dos assaltos em ônibus. Menos de 10% dos usuários serão afetados, já que a grande maioria já utiliza o Bilhete Único.

Em breve toda a Rede Credenciada Transurc vai comercializar o QR Code.  A princípio, 17 credenciados no entorno do Terminal Central estarão comercializando o bilhete (confira relação abaixo). Também haverá funcionários da Transurc até as 21 horas, para vender o QR Code nas plataformas de embarque dos ônibus. O Posto da Transurc no local funcionará até as 23 horas. Além disso, serão instaladas duas ilhas de atendimento para os usuários que quiserem fazer o Bilhete Único no Terminal Central. E para facilitar ainda mais a vida do usuário, será lançado em breve o novo aplicativo Transurc Smart, com o qual será possível adquirir o tíquete pelo celular. Um sistema prático e eficiente, que qualquer pessoa pode utilizar. Basta ter um smartphone.

 

Vantagens do BU

Mais de 90% dos usuários de ônibus de Campinas já utilizam o Bilhete Único por conta das vantagens que ele oferece. Com o cartão comum, a passagem custa R$ 4,30, ao passo que, no pagamento pelo QR Code, o valor é de R$ 4,70. Além disso, o BU proporciona a integração, ou seja, o uso de um segundo ônibus por um período de duas horas, pagando uma tarifa. Apenas a partir da segunda integração nesse período (embarque no terceiro ônibus) é cobrado o valor de R$ 0,40. O benefício é válido para todos os dias da semana.

Outra vantagem é a segurança a motoristas e passageiros, ao reduzir o volume de dinheiro em circulação nos ônibus. Além disso, com o cartão, também é possível realizar até duas viagens mesmo sem saldo (o débito das passagens será feito na próxima recarga).

O Bilhete Único Comum é gratuito e pode ser feito por qualquer pessoa, mesmo não residente em Campinas, com a apresentação de CPF e RG.

 

Agilidade no embarque

O QR Code é um código de barras bidimensional, impresso em papel, que substitui o pagamento em dinheiro dentro dos ônibus. Além de tornar mais ágil o embarque de passageiros, o sistema aumenta a segurança no transporte coletivo, pois acaba com a movimentação de dinheiro nos ônibus. Com isso, a expectativa é de uma grande redução no número de assaltos.

O bilhete com o QR Code tem custo de R$ 4,70, e não proporciona a integração. Todos os validadores dos ônibus que operam no sistema já estão equipados com leitor de tíquete QR Code. O investimento no novo sistema foi de R$ 1,5 mil por veículo.

O tíquete do QR Code tem validade de 30 dias, contados a partir da data da emissão impressa na passagem.

 

Confira a lista dos credenciados que venderão o QR Code no entorno do Terminal Central

  1. A Maranata Livraria Evangélica – Rua Treze de Maio, 130
  2. Açougue Megacarnes – Praça Marechal Floriano Peixoto, 302
  3. Arcadia Café – Rua Conceição, 16
  4. Banca Barboza – Rua Cônego Cipião, 157
  5. Banca Bem-vindo – Rua Dr. Costa Aguiar, 701
  6. Banca da Alessandra – Rua José Paulino, s/nº, esquina com Avenida Dr. Moraes Sales
  7. Banca da Vó – Avenida Senador Saraiva, 444
  8. Banca do Álvaro – Avenida Ferreira Penteado, FT.773
  9. Banca do Vinagre – Rua Costa Aguiar, Box 9, nº 600
  10. Banca Lima – Avenida Franscisco Glicério, 919
  11. Banca Mogiana – Rua José Paulino, 1655
  12. Banca Nico – Avenida Francisco Glicério, 601
  13. Banca Sacramento – Rua Engenheiro Saturnino de Brito, 313
  14. Cantinho do Espeto – Avenida Dr. Campos Sales, 564
  15. Casa do Norte – Rua Cônego Cipião, s/nº, Box 33
  16. Farmacenter – Avenida Dr. Campos Sales, 312
  17. Farmácia Salles – Avenida Dr. Campos Sales, 402
  18. VHY Comércio – Rua Ferreira Penteado, 390

 

Pouco antes do Natal do ano passado, o motorista Vianei Muniz de Oliveira, da VB3, surpreendeu muita gente ao devolver a seu dono uma pasta cheia de dinheiro, encontrada no meio de uma rua do distrito de Barão Geraldo. O bom exemplo trouxe mais esperança para quem já não acreditava em gente honesta em nosso país.

Vianei trafegava com o ônibus da linha 323 (Vila Holândia) quando avistou algo no meio do asfalto, em uma rua de Barão Geraldo. “Achei que parecia ser uma pasta de documentos e pensei que podiam fazer falta para alguém. Como havia poucos passageiros, parei e guardei a pasta no ônibus”, conta.

Ao terminar o dia de trabalho, Vianei foi tentar identificar o dono dos documentos. Levou um susto ao encontrar várias notas de dinheiro dentro da pasta. Eram notas de reais que totalizavam R$ 1.000,00 e notas diferentes, que só depois ele soube que eram de pesos argentinos, no total de $ 3.600,00. Por sorte, também achou o boleto de pagamento do seguro de um carro, que o ajudou a identificar o proprietário da pasta e do dinheiro, o técnico em eletrônica Gustavo Moreto.

O dinheiro foi entregue para o irmão de Gustavo, já que ele estava na Argentina. O dinheiro era para ser usado naquela viagem, e foi perdido justamente no dia da partida. A devolução aconteceu no dia 23 de dezembro, e foi mesmo um presente de Natal para Gustavo, que chegou a achar que não ia reaver esse dinheiro. “A gente vê tanto caso de desonestidade no dia a dia e um gesto como o dele faz a gente voltar a acreditar que vale a pena fazer o certo”, disse Gustavo, quando retornou à cidade e foi agradecer ao motorista, pessoalmente, no dia 16 de janeiro.

Vianei mora em Campinas desde 2012, quando se mudou de Aparecida de Goiânia (GO) para realizar o sonho de seu filho, de ser jogador de futebol. Ele, a mulher Ivanilda e o filho chegaram a morar no carro por um período, pois não tinham condições de alugar um imóvel. Hoje, ele trabalha na VB3 como motorista de ônibus, onde distribui sorrisos, muitas histórias e boas ações. Gosta de contar que já foi jogador de futebol, e tem até uma foto pra comprovar que já jogou ao lado do Pelé, em 1973.

A equipe de colaboradores da Expresso Campibus fechou o ano de 2017 bastante estimulada com novos aprendizados. Foram oferecidos diversos treinamentos. Um grupo de manobristas, por exemplo, participou da Escola de Formação de Motoristas, ao passo que os mecânicos da empresa aprenderam novidades sobre o sistema de freios dos ônibus. Além deles, houve capacitação com foco na segurança do trabalho e melhoria da qualidade dos processos, por meio do treinamento das NR-35 e NR-26. Também teve início o ciclo de cursos de mecânica diesel, com aulas voltadas para a manutenção preventiva dos veículos da frota.

O projeto Escola de Formação de Motoristas foi realizado em novembro, com o objetivo de preparar os manobristas para se tornarem motoristas. O treinamento, realizado pelo técnico de segurança Jackson Rodrigues Pinheiro e pelo instrutor Elias Sampaio Gaeta, aumenta a eficiência da prestação do serviço prestado à população, além de treinar os profissionais a atuarem com segurança, respeito e garantindo a acessibilidade no transporte urbano de passageiros. Participaram seis manobristas.

O treinamento sobre o sistema de freios foi ministrado pelos técnicos da Fras-le, com o objetivo de garantir a segurança dos motoristas e passageiros de ônibus, por meio da perfeita manutenção do sistema de freios do veículo e da melhoria contínua dos processos de manutenção e segurança do trabalho.

O treinamento da NR-35 para trabalho em altura, realizado em dezembro, teve o objetivo de capacitar os colaboradores para que eles possam se prevenir e preservar a segurança na execução dos trabalhos, evitando assim os acidentes. Foi ministrado pelos instrutores e técnicos de segurança Jackson Rodrigues Pinheiro e Claudiomar Siqueira.

No mesmo mês, o treinamento da NR-26, para Classificação, Rotulagem Preventiva e Ficha com Dados de Segurança de Produto Químico, capacitou e orientou os colaboradores sobre os riscos envolvidos no uso dos produtos químicos, a forma correta de manuseio, movimentação e estoque. E mostrou, de forma prática, como executar o trabalho com segurança para prevenir e evitar os perigos da exposição aos fatores que possam gerar eventuais acidentes com produtos químicos. Esse treinamento foi ministrado pelo técnico de segurança Claudiomar Siqueira.

Já o ciclo de cursos de mecânica diesel, realizado com o apoio do Sest/Senat, visou à segurança dos condutores e passageiros e à redução de custos em manutenção mecânica.

 

Reciclagem

A Expresso Campibus realiza mensalmente o treinamento Retorno de Férias, com os motoristas que acabam de retomar o trabalho, após as merecidas férias. Esse treinamento, com carga horária de sete horas, consiste em uma reciclagem dos conhecimentos nos diversos setores, como: atendimento ao cliente, direção defensiva, direção econômica, acessibilidade urbana, transporte inclusivo e atendimento a portadores de necessidades especiais.

O objetivo é garantir a qualidade na prestação do serviço ao usuário, com a redução dos acidentes de trânsito e o aumento da segurança no trabalho. Todos os motoristas que voltam de férias passam por essa reciclagem.

Os motoristas das empresas que operam o sistema de transporte público coletivo de Campinas (Sistema InterCamp) participam, até o mês de junho deste ano, do curso Ética e Cidadania no Transporte Coletivo de Passageiros. A capacitação foi montada especialmente para estes profissionais, sendo ministrada pelo Serviço Social do Transporte e Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte (Sest/Senat) a pedido da Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (Emdec) e com o apoio da Associação das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Campinas (Transurc).

O Sest/Senat adequou os conteúdos à realidade desses motoristas, em tópicos como autoconhecimento, comportamento, direitos, relações humanas e respeito às diferenças. A ideia é estabelecer uma reciclagem contínua, de forma que os futuros profissionais do sistema também tenham acesso às orientações.

Estão previstos para participar do curso 1.606 profissionais das empresas VB (950), Campibus (331), Itajaí/Onicamp (280) e Pádova (45). Serão cerca de 80 turmas de 20 a 25 pessoas e as aulas terão carga horária de quatro horas, com três módulos apresentados na sequência.

Para a organização das aulas, a Emdec ofereceu materiais complementares relacionados às estatísticas de acidentes com ônibus e sobre como evitá-los, procedimentos para o embarque e desembarque de usuários com mobilidade reduzida e cuidados operacionais no atendimento à população.

O objetivo do curso é despertar a consciência nos operadores do Transporte Coletivo de Campinas quanto à importância do seu papel na condução de ônibus, com segurança, visando reduzir os acidentes. Além disso, os motoristas serão preparados para transportar pessoas com deficiência.

O curso visa ainda desenvolver capacidades que conduzam o profissional ao bom relacionamento interpessoal, tanto no ambiente de trabalho como na vida familiar e social.

Os profissionais serão treinados para respeitar as diferenças individuais, agindo com respeito e cuidado no transporte de todo tipo de passageiro, independente de suas diferenças (sexo, idade, raça, crença, orientação sexual, ideal político-partidário ou nível social e econômico).

Apenas 574 estudantes estão ok para receber o benefício até o momento. As recargas serão liberadas na próxima segunda-feira, dia 22

Dos 31 mil estudantes previstos para utilizar o benefício este ano, apenas 6.359 fizeram a solicitação pela internet, sendo que mais da metade teve o pedido indeferido. As recargas do BU Escolar e Universitário podem ser feitas a partir da próxima segunda-feira, dia 22.

Até o momento, 574 cadastros do Bilhete Único Escolar e Universitário foram finalizados, segundo a Associação das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Campinas (Transurc). Estes já estão liberados para a compra dos passes a partir de segunda-feira. Outros 942 estão aprovados, faltando a confirmação do pagamento da taxa para a liberação da compra do benefício.

O número ainda está bem abaixo do esperado e, segundo a Transurc, quem deixar para a última hora corre o risco de não ter o benefício aprovado a tempo de usá-lo no início das aulas. Muitas solicitações acabam indeferidas por falta de atenção do usuário no envio dos documentos. Entre eles estão: fotografia fora do padrão solicitado, cópia ilegível de documentos ou incompleta e comprovante de endereço inválido.

O cadastramento dos estudantes pela internet começou no dia 2 de janeiro.  Para agilizar o processo, os cadastros de estudantes que tiveram o Bilhete Único Escolar em 2017 foram enviados para a aprovação das escolas ainda no final do ano passado. Apesar disso, muitos estudantes ainda não deram continuidade ao processo, no site da transurc.

Todos os interessados no benefício precisam entrar no site www.transurc.com.br e fazer a solicitação online. É preciso preencher todos os dados solicitados, além de enviar o número do CPF, uma foto e um comprovante de residência válido (água, luz ou telefone fixo, referente aos últimos seis meses). Tudo em formato digital. Após a aprovação do cadastro é preciso pagar uma taxa para que o benefício seja liberado.

Quem pode utilizar

O Bilhete Único Escolar pode ser utilizado pelos estudantes do Ensino Fundamental, Médio, Supletivos e Cursos Técnicos da rede oficial e particular, e propicia um desconto de 60% na tarifa de ônibus.  É oferecido para os alunos que residem a mais de 1.000 metros do estabelecimento de ensino.

Os estudantes universitários que frequentam aulas em regime presencial integral também precisam se cadastrar pelo site para ter direito ao Bilhete Único Universitário, que concede um desconto de 50% na tarifa. O interessado também deve morar em Campinas, estar regularmente matriculado em instituição de Ensino Superior do município e residir a mais de 1 km da universidade. Mesmo os estudantes que usufruíram o benefício em 2017 devem se recadastrar pelo site. O site da Transurc traz todas as informações para os estudantes interessados.