A Prefeitura de Campinas deve mais de R$ 13,3 milhões às empresas Itajaí Transportes Coletivos, VB Transportes e Turismo, Onicamp Transporte Coletivo, Expresso Campibus e Coletivos Pádova, concessionárias do transporte coletivo urbano de Campinas. A dívida vem de julho deste ano e refere-se ao não-pagamento do subsídio parcial às gratuidades e passes Escolar e Comum adquiridos por intermédio de diversas secretarias municipais. As concessionárias, associadas à Associação das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Campinas (Transurc), estão preocupadas com o pagamento dos salários de dezembro dos 4,5 mil funcionários.

“O problema existe há anos e se agravou com esse quadro de instabilidade política. Assim como os outros grandes fornecedores da Prefeitura ficaram sem receber, as concessionárias também sofreu com isso. Cada prefeito que assumiu o cargo definiu de forma diferente como seriam realizados os pagamentos dos fornecedores”, afirmou Sérgio Torrecillas, secretário de Transportes do município.

Ao mesmo tempo em que a Prefeitura não paga a dívida com as concessionárias, ela multa as empresas que estão com dificuldades financeiras para manter o programa de renovação de frota e compra de veículos acessíveis.

“Parece que a Prefeitura de Campinas não leva em consideração que o não-pagamento dos R$ 13,3 milhões impacta diretamente no poder de investimento das concessionárias. Isso está comprometendo a manutenção dos investimentos, a renovação da frota e, inclusive, o pagamento de fornecedores e dos salários de funcionários das concessionárias”, completou Paulo Barddal, diretor de Comunicação e Marketing da Transurc.