As empresas Transportes e Turismo, Coletivos Pádova, Expresso Campibus, Onicamp Transporte Coletivo e Itajaí Transportes Coletivos, por meio da Associação das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Campinas (Transurc), encaminharam um requerimento ao comandante Lincon Oliveira Lima, do Comando de Policiamento do Interior (CPI II), para que a Polícia Militar auxilie no cumprimento da determinação proferida pelo desembargador Lourival Ferreira dos Santos, presidente da Seção de Dissídios Coletivos do Tribunal Regional do Trabalho (TRT) da 15ª Região, de manter ao menos 70% da frota operando em horários de pico e 50% nos demais horários.

“Precisamos do apoio da PM para evitar mais prejuízos aos bens das empresas e garantir a segurança daqueles colaboradores que desejam trabalhar. Nesta manhã, por exemplo, sindicalistas usaram de violência para impedir a circulação dos veículos. A Onicamp Transporte Coletivo colocou 13 ônibus nas ruas, mas três deles foram apedrejados por manifestantes”, relembra Paulo Barddal, diretor de Comunicação e Marketing da Transurc. O requerimento também solicita a segurança dos ônibus ao longo de todo o itinerário, e não apenas no momento da saída das garagens.

O requerimento e o protocolo de recebimento por parte da PM seguem anexos.