A Transurc mudou a distribuição do jornal O Coletivo. A edição de setembro já foi entregue por equipes uniformizadas aos passageiros que esperavam os ônibus nos terminais Central, Mercado, Ouro Verde, Campo Grande, Barão Geraldo e Metropolitano. O objetivo é tornar o jornal mais acessível aos usuários para que fiquem por dentro do que a Transurc e suas associadas fazem para melhoria do sistema de transporte.

A nova distribuição foi aprovada pelos passageiros. “É melhor. Fica mais fácil para pegar a edição quando entregam para a gente”, afirma a autônoma Elaine Dearmelino. Os usuários de ônibus querem estar bem informados, como conta a dona de casa Vera Lucia da Silva. “É importante saber como funciona o sistema de transporte.” O pedreiro Luiz Jair de Lima concorda com ela. “É uma boa ter notícias a respeito. As pessoas precisam ter conhecimento do que está acontecendo”, acredita.

O jornal continua disponível nos dispensers localizados perto dos pontos de venda da associação nos terminais, no Poupatempo e na própria sede da Transurc. Atualmente, a tiragem é de 30 mil exemplares.

A VB Transportes e Turismo, concessionária que opera as linhas verdes, está investindo na instalação de câmeras de monitoramento nos ônibus. As linhas verdes fazem parte da área 3 do Sistema InterCamp, que compreende as regiões de Barão Geraldo, Sousas, Rodovia Campinas–Mogi, Amarais e Corredor Abolição. Os equipamentos começaram a ser colocados no dia 24 de setembro e todos os 307 veículos da empresa devem ser equipados nos próximos meses. Nos ônibus de modelo convencional estão sendo instaladas quatro câmeras por veículo; já nos articulados serão colocadas seis. O investimento visa garantir a segurança dos passageiros, motoristas e cobradores, já que as câmeras coíbem assaltos e o vandalismo.

A campanha “Faça comigo seu Bilhete Único” está presente no campus da Universidade de Campinas (Unicamp) desde o dia 1° de outubro, em razão do grande número de alunos e funcionários que utilizam o transporte público em Campinas e podem aproveitar os benefícios do cartão Bilhete Único Comum. Os agentes de cadastramento poderão ser encontrados nos arredores do Restaurante Universitário, Restaurante da Saturnino, Restaurante Administrativo e na Praça do Básico.

A campanha “Faça comigo seu Bilhete Único”, lançada em setembro pela Associação das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Campinas (Transurc) com o objetivo de popularizar ainda mais o cartão Bilhete Único Comum, já teve mais de 2 mil novos cadastros até o momento.

Na segunda fase da campanha, que ocorrerá nos próximos 60 dias, as equipes vão continuar em alguns pontos do centro de Campinas e também irão passar por shoppings, universidades, hospitais e por terminais que não contam com ponto de venda da Transurc, como os terminais da Vila União, Vida Nova e Padre Anchieta. A meta é fazer 10 mil novos cartões nesse período. Atualmente, mais de 844 mil cartões BU Comum já estão cadastrados.

Nesse primeiro mês da campanha, dez agentes de cadastramento, vestindo um colete com o logotipo da Transurc, abordaram os passageiros que estavam nos pontos de ônibus mais movimentados da região central para oferecer o benefício. “A campanha tem como público-alvo aquelas pessoas que não têm tempo de se dirigir até a sede da Transurc ou aos terminais para fazer o cartão”, diz Paulo Barddal, diretor de Comunicação e Marketing da Transurc.

Na hora, por meio de um smartphone, o agente consegue verificar se o passageiro tem algum tipo de cartão cadastrado em seu nome e, caso não tenha, o Bilhete Único é feito imediatamente. O cartão vem pré-carregado com duas tarifas e, logo após o cadastramento, o usuário poderá aproveitar os benefícios do Bilhete Único.

Posteriormente, se o usuário quiser personalizar o cartão com o nome, poderá dirigir-se até a sede da Transurc. Os agentes de cadastramento do BU ficam nesses pontos de ônibus de segunda-feira a sexta-feira, das 9h às 17h.

 

Saiba onde fazer o seu cartão:

Av. Campos Salles X Rua José Paulino;

Av. Campos Salles X Rua Regente Feijó;

Av. Campos Salles X Av. Fco. Glicério;

Av. Moraes Salles X Rua José Paulino;

Terminal Metropolitano.

Transurc apoia o movimento Outubro Rosa, conhecido pela mobilização na luta contra o câncer de mama com divulgação em busdoors, no site e nas redes sociais da associação. O objetivo é conscientizar as mulheres sobre a importância do diagnóstico e do tratamento precoce. Em Campinas, o movimento é uma iniciativa da PUC-Campinas com apoio da Sociedade de Medicina de Campinas (SMCC).

Os voluntários do Outubro Rosa estão atuando em diversos pontos da cidade de Campinas. Eles fazem visitas domiciliares, em escolas e instituições. Entre as atividades do mês, estão programadas palestras na sede da SMCC e divulgação da campanha em locais de grande circulação de pessoas, como o Terminal Campo Grande, Central, Barão Geraldo, Ouro Verde, na rodoviária e no aeroporto, entre outros.

O período entre o diagnóstico e o tratamento do câncer de mama em Campinas é o mais rápido do Brasil. Enquanto a lei determina que as mulheres sejam examinadas e tratadas em um intervalo de, no máximo, 60 dias, na cidade todo o processo é feito em um mês. Sobram vagas para o tratamento, pois a demanda de mulheres que procura atendimento  é menor que sua capacidade. O câncer de mama é a segunda causa mais frequente de morte de mulheres no mundo e no Brasil, perdendo apenas para as doenças cardiovasculares. Em 2012, foram diagnosticados aproximadamente 53 mil novos casos da doença, e, em 2012, somente no país, morreram cerca de 13 mil mulheres. As mortes, segundo os médicos, são causadas pelo atraso no diagnóstico, já que a chance de cura é de 95% quando a doença é descoberta na fase inicial.

 

Palestras gratuitas na SMCC

Dia Horário Palestra
15 e 17 de outubro 12h Opções de tratamento para o Câncer de Mama
15, 17, 22 e 24 de outubro 13h às 17h Acolhimento e exame clínico de mama aberto às mulheres interessadas.
22, às 12h e 24, às 17h   Impacto do Câncer de Mama na Vida Familiar
29 12h às 17h Qualidade de Vida Pós-Mastectomia

 

Local: SMCC

Endereço: Rua Delfino Cintra, 63 – Centro – Campinas

Programação completa em www.smcc.org.br

Informações: (19) 3231-2811

A Associação das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Campinas (Transurc), organização que reúne as concessionárias que operam o setor na cidade, vai isentar a cobrança da taxa para emissão da segunda via do Bilhete Único Comum. Essa é mais uma iniciativa da Transurc para tornar ainda mais acessível o cartão que permite que o usuário possa utilizar até três ônibus durante duas horas pagando apenas uma tarifa.

Segundo Paulo Barddal, diretor de Comunicação e Marketing da Transurc, o público-alvo da campanha que começará no dia 1º até o dia 31 de outubro, são as 18.149 pessoas que perderam o cartão Bilhete Único Comum e deixaram de aproveitar os benefícios que a integração permite. “Além dos três ônibus, os usuários que têm o Bilhete Único podem se beneficiar com o Passe Lazer um domingo por mês”, explica.

Os usuários que tiverem interesse em fazer a segunda via gratuitamente poderão ir até o Terminal Central ou à sede da Transurc, que fica na Rua 11 de Agosto, 757, Centro. Nesse período da campanha, a Transurc fará um novo cartão por CPF daqueles usuários que já tem cadastro. Hoje, a família de cartões Bilhete Único tem mais de 844 mil cadastrados, entre os funcionários de empresas, estudantes, pessoas portadoras de necessidades especiais, idosos e usuários comuns.

As mídias que estão sendo estudadas são jornais, busdoors, indoors, emissoras de rádio, redes sociais, site, cartazes e folhetos que serão distribuídos nos principais terminais de ônibus de Campinas.

Cadastramento na hora
No início deste mês, a Transurc lançou a campanha “Faça comigo seu Bilhete Único” com o objetivo de popularizar ainda mais o cartão. Durante 90 dias, dez agentes de cadastramento, vestindo um colete com o logotipo da Transurc, abordarão os passageiros que estiverem nos pontos de ônibus mais movimentados da região central para oferecer o benefício.

Até agora, já foram feitos 1.000 novos cadastros. “A campanha tem como público-alvo aquelas pessoas que não têm tempo de se dirigir até a sede da Transurc ou aos terminais para fazer o cartão”, diz Barddal.

Na hora, por meio de um smartphone, o agente consegue verificar se o passageiro tem algum tipo de cartão cadastrado em seu nome e, caso não tenha, o Bilhete Único é feito imediatamente. O cartão vem pré-carregado com duas tarifas e, logo após o cadastramento, o usuário poderá aproveitar os benefícios do Bilhete Único.

Posteriormente, se o usuário quiser personalizar o cartão com o nome, poderá dirigir-se até a sede da Transurc. Os agentes de cadastramento do BU ficam nesses pontos de ônibus de segunda-feira a sexta-feira, das 9h às 17h.

Recarga fácil
O cartão pode ser recarregado em um dos pontos de vendas da Transurc localizados nos terminais de ônibus Central, Mercado, Barão Geraldo, Ouro Verde, Campo Grande e no Poupatempo Centro ou ainda em um dos 290 estabelecimentos que fazem parte da Rede Credenciada. A localização dos estabelecimentos comerciais da Rede de Credenciados pode ser obtida no site da Transurc ou nos guias de bolso que são distribuídos nos pontos de venda da associação.

Os usuários do PAI Serviço ganharam um novo ônibus no dia 4 de setembro, para fazer o transporte de cadeirantes. O ônibus substituiu outro veículo, pois tem maior capacidade e pode transportar até 24 passageiros por viagem. Investimento da Expresso Campibus, o veículo tem chassi Mercedes-Benz 1418 e carroceria Caio Apache VIP.

Atualmente, o PAI Serviço conta com 25 vans e dois ônibus, que realizam mais de 16 mil atendimentos por mês. O PAI Serviço é um programa de transporte público gratuito porta a porta ou porta a ponto, que atende pessoas que têm algum tipo de deficiência severa na locomoção.

Somente pessoas cadastradas podem utilizar o PAI. Para isso, é necessário que o interessado preencha um formulário que deverá ser entregue junto com um atestado médico na sede da Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (Emdec). Mais informações sobre o serviço podem ser obtidas no telefone 0800 600 1517. A ligação é gratuita.

O Passe Lazer, que garante aos passageiros pagar meia passagem no último domingo de cada mês, ocorre em 29 de setembro, 27 de outubro e 24 de novembro, de acordo com a Resolução nº 133, publicada no Diário Oficial do Município de 21 de agosto.

Como a passagem custa R$ 3, a meia sai por R$ 1,50.

Levantamento da Associação das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Campinas (Transurc) indica a média de 28,8 mil usuários do Bilhete Único Comum aos domingos. O Passe Lazer começou a valer em 28 de abril.

Além de pagar a metade da tarifa, o usuário do Bilhete Único também tem garantida a integração de 2h. O Passe Lazer não vale para quem tem o Bilhete Único Escolar,

que já possui 60% de desconto no valor da tarifa, e, também, para quem tem o Bilhete Único Vale-Transporte, por ser um benefício antecipado que a empresa empregadora presta ao funcionário, para seu deslocamento ao trabalho. Quem tem o cartão Bilhete Único Idoso ou Gratuito já não paga a tarifa de ônibus.

O reúso da água traz benefícios ambientais significativos, com a diminuição do volume de água gerado e com a redução da poluição hídrica, já que a descarga de efluentes é minimizada. É por isso que a Itajaí Transportes Coletivos já investe há alguns anos na captação da água da chuva para a lavagem dos veículos. Toda água da chuva é enviada para duas cisternas: um tanque tem capacidade para 500.000 litros e outro para 120.000 litros de água.

A Itajaí ainda possui estação de tratamento própria que trata a água usada na lavagem dos veículos. Após o tratamento, o efluente é devolvido às cisternas para reutilização, ou seja, toda água utilizada é tratada e continua dentro da garagem, não sendo enviada para a rede de esgoto. Além de contribuir com o meio ambiente, a empresa também tem uma grande economia.

“Pensar em maneiras de reutilizar a água é uma forma de controlar perdas e evitar desperdícios, além de minimizar o consumo. A água pode ser preservada e poupada com o reúso de efluentes tratados de acordo com os parâmetros de qualidade estabelecidos”, explica Uilson Moraes, gerente administrativo da Itajaí.

Quem anda de ônibus sabe que existem ruas e horários mais difíceis de trafegar por causa do grande fluxo de veículos. Agora, os técnicos da Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (Emdec) mapearam os gargalos da cidade e identificaram os pontos que os motoristas e passageiros enfrentam diariamente.

Ao todo, foram mapeadas 42 ruas e avenidas de grande fluxo de veículos em que o trânsito é lento; dessas, 39 fazem parte do itinerário de 137 linhas de ônibus. Catorze pontos estão localizados na região central, em vias como a Avenida Anchieta, a Avenida Moraes Salles e a Avenida Francisco Glicério. Taquaral, Jardim Chapadão, Vila Industrial e Cambuí também concentram grande fluxo de veículos e cada um tem três pontos de gargalo.

O motorista da linha 3.31 – Terminal Barão Geraldo/Rodoviária Laércio Florêncio de França explica que há três pontos complicados em sua linha: o primeiro é entre a Avenida Júlio de Mesquita, no Cambuí, e a Avenida Anchieta, o outro fica na Avenida Andrade Neves, próximo da antiga rodoviária, e o último é na Avenida Campos Salles. “No horário de pico é complicado parar no ponto de ônibus pois são muitos veículos que têm de parar no mesmo local”, explica.

O profissional também notou que a quantidade de automóveis nas ruas aumentou bastante nos últimos três anos. E ele está certo. Campinas tem hoje uma frota de 849,7 mil veículos, uma relação de um para cada 0,84 habitante, uma das maiores do Brasil. A frota da cidade aumentou em 41.555 unidades entre julho de 2012 e julho de 2013. Isso corresponde a 20 km perdidos nas vias da cidade, se for adotada uma medida de espaçamento internacional.

Em julho de 2012, a frota tinha 808.169 veículos. Já no mesmo mês deste ano chegava a 849.724. Como Campinas tem uma população de 1,09 milhão, significa que uma em cada 26 pessoas adquiriu um novo meio de locomoção no período.

Obviamente, com 41 mil veículos a mais nas ruas, o espaço viário diminui.

Fernandes Braga é motorista da linha 2.60 – Nova Aparecida/Shopping Iguatemi e, além do trânsito, enfrenta a falta de respeito dos motoristas diariamente. “Na Avenida Anchieta invadem a faixa de ônibus e, nos horários de entrada e saída de escola, param em fila dupla”, conta.

Outros problemas que encontra em seu itinerário são o estacionamento irregular na Rua 11 de Agosto, que é proibido, e o movimento aos sábados na Avenida Campos Salles.

Fernandes é motorista em Campinas desde 1971 e considera que o trânsito piorou muito nos últimos anos. “Não valorizam o ônibus e quem mais sofre é o passageiro que quer chegar rápido no trabalho, mas é atrapalhado pelos automóveis”, acredita.

Uma das medidas que podem contribuir para acelerar o trânsito e melhorar esse cenário é investir no transporte público, com o BRT (Bus Rapid Transit), que prevê corredores exclusivos para ônibus de alta capacidade. O BRT poderá transportar até 40 mil passageiros por hora em cada sentido, em 40 quilômetros de trajeto. No entanto, o projeto só deve ficar pronto em 2016.

Vias com trânsito:

Av. Anchieta (Centro)
Av. Albino José Barbosa de Oliveira (Barão Geraldo)
Av. Andrade Neves (Centro/Botafogo/Castelo)
Av. das Amoreiras (São Bernardo)
Av. Barão de Itapura (Vl. Itapura)
Av. Benjamin Constant (Centro)
Av. Brasil (Guanabara)
Av. Dr. Campos Salles (Centro)
Av. Dr. Heitor Penteado (Taquaral)
Av. Dr. Moraes Salles (Centro)
Av. Dr. Alberto Sarmento (Castelo)
Av. Francisco Glicério (Centro)
Av. Francisco José de Camargo Andrade (Jd. Chapadão)
Av. Imperatriz Leopoldina (Vl. Nova)
Av. João Jorge (Vl. Industrial)
Av. John Boyd Dunlop (Jd. Aurélia)
Av. José de Souza Campos (Cambuí)
Av. Júlio Prestes (Taquaral)
Av. Lix da Cunha (Bonfim)
Av. Luiz Smânio (Jd. Chapadão)
Av. Marechal Rondon (Jd. Chapadão)
Av. Nossa Senhora de Fátima (Pq. Taquaral)
Av. Orosimbo Maia (Vl. Itapura)
Av. Pref. Faria Lima (Pq. Itália)
Av. Pref. Magalhães Teixeira (Jd. Leonor)
Av. Prestes Maia (Jd. do Trevo)
Av. Princesa d’Oeste (Jd. Guarani)
Av. Ruy Rodriguez (Jd. Cristina)
Av. Senador Saraiva (Centro)
Av. Theodureto de Almeida Camargo (Jd. N. Sra. Auxiliadora)
Av. Waldemar Paschoal (Jd. São Paulo)
Rod. Dr. Heitor Penteado (Jd. das Paineiras)
Rua Barreto Leme (Centro)
Rua Coronel Quirino (Cambuí)
Rua Dr. Pereira Lima (Vl. Industrial)
Rua Dr. Salles de Oliveira (Vl. Industrial)
Rua Gal. Marcondes Salgado (Cambuí)
Rua Gal. Osório (Centro)
Rua Irmã Serafina (Centro)
Rua Joaquim Villac (Vl. Teixeira)
Rua José Rosolém (Jd. Londres)
Rua Lidgerwood (Centro)