As empresas que operam o transporte público em Campinas tiveram um índice de 99,86% na realização de viagens entre janeiro e dezembro de 2012, ou seja, de um total de 5.670.630 de viagens programadas no ano, apenas 8.081 (0,14% do total) não foram realizadas. Entre as linhas afetadas estão as que trafegam em itinerários com buracos nas vias e viário precário, principalmente na periferia e na área rural. No período de chuvas, essas ruas chegam a ficar intransitáveis, como já foi relatado em outras reportagens do jornal O Coletivo.

O índice de pontualidade é ainda maior: 99,96%. No ano passado ocorreram 2.063 atrasos e adiantamentos de viagens, ou seja, 0,04% do total de viagens programadas. Os atrasos normalmente são pelos congestionamentos, que geralmente ocorrem nos picos da manhã e da tarde. As viagens não realizadas e os atrasos e adiantamentos foram autuados pela Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (Emdec).

“Priorizar o transporte público é essencial para que haja um salto ainda maior de qualidade. Campinas precisa de corredores exclusivos para que os ônibus não fiquem presos em congestionamentos, disputando os mesmos espaços nas ruas e avenidas com os demais veículos”, argumenta Paulo Barddal, diretor de Comunicação e Marketing da Associação das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Campinas (Transurc), que congrega as concessionárias operadoras.

Pelos motivos expostos acima, a implantação dos corredores do tipo BRT, projetados pela Emdec para fazer ligações importantes de regiões adensadas como as do Ouro Verde e também as que se estendem ao longo da John Boyd Dunlop, é considerada imprescindível para que o transporte coletivo dê esse salto de qualidade.

A Emdec recebeu 15.635 reclamações entre abril de 2012 e abril de 2013 sobre o Sistema InterCamp, que inclui as linhas operadas pelas cooperativas. As reclamações mais registradas foram sobre não cumprimento de horário (33,23%), motorista que não para no ponto (17,83%), motorista imprudente (14,83%) e não cumprimento de itinerário (5,57%). Não há dados exclusivos sobre a atuação dos ônibus operados pelas empresas, mas os motoristas e cobradores passam por constantes treinamentos nas garagens para melhorar o atendimento aos passageiros.

A Associação das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Campinas (Transurc) lançou a 24ª edição do Guia da Rede Credenciada. Ao todo, estão listados 287 pontos ativos que compõem a Rede de Representantes Credenciados e estão presentes em todas as regiões da cidade. Esses representantes são parceiros da associação e fazem a recarga de créditos para o Bilhete Único Comum.

Os usuários do Bilhete Único Comum podem pedir seu exemplar na sede da Transurc, nos terminais Central, Mercado, Ouro Verde, Barão Geraldo, Campo Grande e Metropolitano, além do Poupatempo Centro.

Com o guia em mãos fica mais fácil para recarregar o cartão em qualquer lugar de Campinas: basta fazer a consulta por bairro e depois por endereço.

Diversos tipos de estabelecimento fazem parte dessa rede: açougues, bancas de jornal, farmácias, lanchonetes, conveniências, lotéricas, padarias, papelarias e supermercados, entre outros. A relação dos pontos também pode ser encontrada no site www.transurc.com.br.

Índice oferecido pelas concessionárias foi de 6,49% (IPCA); categoria teve aumento real de 1,5% e tíquete refeição nas férias mas o benefício está condicionado à assiduidade no trabalho

A possibilidade de uma nova greve no setor de transporte coletivo urbano em Campinas foi afastada hoje, após a realização de uma assembléia geral por parte de motoristas e cobradores. A assembléia aconteceu às 10 horas na sede do Sindicato dos Rodoviários de Campinas e Região.

“Inicialmente, as concessionárias haviam oferecido o reajuste pela inflação, que deu 6,49% (IPCA) no período de maio de 2012 a abril de 2013”, diz Paulo Barddal, diretor de Comunicação e Marketing da Associação das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Campinas (Transurc), entidade que representa as concessionárias durante as negociações salariais.

O índice foi recusado pelo sindicato da categoria durante as negociações e havia a possibilidade de a categoria parar Campinas mais uma vez. “Além disso, houve a exigência de ampliar o tíquete refeição durante o período de férias. Para que uma nova greve não ocorresse, as empresas chegaram ao limite e ofereceram 8% de reajuste linear em todos os salários e condicionaram a ampliação do benefício do tíquete à assiduidade dos funcionários no trabalho”, explica Barddal.

Em relação ao IPCA houve um ganho real de 1,51 ponto percentual. Atualmente, sem o reajuste de 8%, os motoristas de ônibus convencionais e padron recebem R$ 1.728,40, enquanto que os de articulados, R$ 1.797,03, e os cobradores, R$ 767,47. O valor atual do tíquete é de R$ 321,00. Todos os demais benefícios foram mantidos.

Neste mês, um dos maiores avanços do transporte coletivo de Campinas completou sete anos. O Bilhete Único foi implantado em 1º de maio de 2006 e, desde então, permitiu que os usuários comuns, os estudantes e as empresas deixassem de gastar mais de R$ 442,5 milhões graças ao benefício da integração temporal, que também tornou possível o uso de ônibus e micro-ônibus do sistema InterCamp, deixando o passageiro livre para escolher seus itinerários. Ao todo, são mais de 844 mil cartões ativos.

O número de integrações também aumentou. Se em 2006 o trabalhador precisava caminhar para chegar até a empresa, pois tinha apenas um passe para usar, hoje ele faz a integração. Naquela época, apenas 7% das viagens eram integradas, ou seja, somente esse percentual de empresas pagava duas passagens para o funcionário. Atualmente, o percentual de viagens integradas subiu para 22%, de um total de 640 mil viagens diárias.

Além desses benefícios, o sistema de bilhetagem eletrônica evoluiu e desde março deste ano é possível fazer até três integrações no período de duas horas, de segunda-feira a sábado, e também duas horas, aos domingos e feriados, pagando apenas uma tarifa.

Existem cinco modelos de Bilhete Único que mudam conforme o tipo de usuário: o Comum, na cor vermelha para todos os tipos de passageiros, o Vale-Transporte, na cor verde, que é solicitado pela empresa na qual o usuário trabalha, o Escolar, na cor azul, que dá o desconto de 60% no valor da passagem para os estudantes e o Gratuito, na cor roxa, concedido aos idosos. A primeira via do cartão é gratuita. O usuário ainda tem a vantagem de poder avisar à Associação das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Campinas (Transurc) se perder ou tiver o cartão roubado e, dessa forma, bloquear o saldo de crédito existente.

A atendente Aline Daniely da Conceição, por exemplo, perdeu o seu Vale-Transporte e veio até a sede da Transurc para fazer a segunda via, pois acredita que o cartão é vantajoso. “Facilita muito a vida. Dá para pegar vários ônibus e o atendimento aqui foi rápido”, conta.

O aposentado Antonio Evangelista da Silva também esteve na Transurc para fazer o seu cartão, que assegura mais assentos dentro dos veículos e condições de igualdade com os demais passageiros. Mesmo o cadastramento do Bilhete Único Idoso sendo opcional, já que por lei, pessoas com mais de 65 anos podem viajar de graça mediante a apresentação de Carteira de Identidade, ele preferiu fazer o seu passe. “Com o cartão o acesso ao ônibus fica mais fácil”, acredita. Seu cartão ficou pronto na hora e ele já pode voltar para sua casa no Jardim das Bandeiras II usufruindo do benefício.

O Bilhete Único atende pessoas de todas as idades. A estudante Larissa Pereira Neves, que está no 3° ano do ensino médio da Escola Estadual Prof. Adalberto Prado e Silva também tem o seu cartão. “Sempre uso as linhas 2.44 (Vila Teixeira / Shopping Dom Pedro) ou 3.78 (Carrefour Valinhos / Shopping Iguatemi para ir e voltar da escola”, conta.

Quem é usuário do Bilhete Único Comum, além de fazer a recarga nos postos de atendimento da Transurc, também pode recarregar o cartão em um dos 300 estabelecimentos ligados à Rede Credenciada.

Além de proporcionar a integração e agilidade, o cartão BU proporciona mais segurança aos usuários. A utilização do cartão diminui o volume de dinheiro em circulação dentro dos ônibus, reduzindo o risco de assaltos.

A Associação das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Campinas (Transurc) adiou a reabertura do posto de atendimento do Terminal Mercado para o dia 13 de maio. A reabertura estava programada para ocorrer no dia 6 de maio, mas em virtude de problemas encontrados no local, como infiltração de água, teve de ser adiada.
O posto de atendimento está fechado desde o dia 22 de abril para a troca de pisos, azulejos, as louças sanitárias do banheiro e a pia da copa. Também serão feitas novas instalações elétricas e de comunicação, além de nova pintura interna.

A reforma visa melhorar o atendimento e trazer mais comodidade aos usuários do cartão Bilhete Único. Os clientes que precisarem recarregar o cartão podem se dirigir aos endereços mais próximos que são:
Terminal Central – Viaduto Miguel Vicente Cury, Centro
Atendimento de segunda a sábado, das 6 às 21 horas. Domingos e feriados, das 6 às 18 horas.
Poupatempo Centro – Av. Francisco Glicério, 935, Centro
Atendimento de segunda a sexta, das 8 às 18 horas. Sábado, das 7 às 13 horas.
Sede da Transurc – Rua Onze de Agosto, 757, Centro
Atendimento de segunda a sexta, das 8 às 18 horas.

Os clientes também podem contar com estabelecimentos comerciais que fazem parte da Rede Credenciada. A lista com os pontos espalhados pela cidade está no site www.transurc.com.br.

Obras, que serão feitas para dar maior comodidade aos clientes e funcionários, estão previstas para ocorrerem no período de 22 de abril a 6 de maio

A Associação das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Campinas (Transurc) irá reformar o posto de atendimento do Terminal Mercado e, por isso ele ficará fechado de 22 de abril a 6 de maio. Durante o período, serão trocados pisos, azulejos, as louças sanitárias do banheiro e a pia da copa.

Também serão feitas novas instalações elétricas e de comunicação, além de nova pintura interna. A reforma visa melhorar o atendimento e trazer mais comodidade aos usuários do cartão Bilhete Único.

Os clientes que precisarem fazer cadastro e recarga de cartões podem se dirigir aos endereços mais próximos que são:

Terminal Central – Viaduto Miguel Vicente Cury, Centro. Atendimento de segunda a sábado, das 6 às 21 horas. Domingos e feriados, das 6 às 18 horas;

Poupatempo Centro – Av. Francisco Glicério, 935, Centro. Atendimento de segunda a sexta, das 8 às 18 horas. Sábado, das 7 às 13 horas;

Sede da Transurc – Rua Onze de Agosto, 757, Centro. Atendimento de segunda a sexta, das 8 às 18 horas.

Os clientes também podem contar com estabelecimentos comerciais que fazem parte da Rede de Credenciados Transurc. A lista, com centenas de pontos espalhados pela cidade, está no site www.transurc.com.br.

O Consórcio UrbCamp, formado pela VB Transportes e Turismo e Coletivos Pádova, entrega 14 novos veículos convencionais para as regiões de Barão Geraldo e Cidade Judiciária, e a VB Transportes e Turismo entrega mais seis novos articulados para a área 1, que opera na região do Ouro Verde. A cerimônia de entrega ocorre no dia 02 de abril, terça-feira, às 10h30, no Terminal Barão Geraldo, com a presença do prefeito Jonas Donizette e do secretário de Transportes, Sérgio Benassi.

Com investimento total das concessionárias de R$ 7,52 milhões, os novos veículos vão beneficiar cerca de 25 mil passageiros que usam diariamente as linhas 1.21, 3.11, 3.30, 3.42, 3.82 e 3.90, que circulam pelos bairros Jardim Santa Mônica, Aliança, Cambuí, São Bernardo, pelos distritos Barão Geraldo, Sousas, Joaquim Egídio e pela região do Ouro Verde.

O investimento nos veículos da área 3 foi de R$ 3,92 milhões, já que cada ônibus custa R$ 280 mil. Eles são equipados com chassi Mercedes-Benz OS 1721, carroceria Comil Svelto e o novo motor Euro 5, que polui menos o meio ambiente. “O motor Euro 5, que atende a fase 7 do Programa de Controle de Poluição do Ar por Veículos Automotores (Proconve), emite 80% menos material particulado e 60% menos óxido de nitrogênio com o uso do biodiesel B-10, que foi adotado pelas concessionárias em janeiro de 2013”, esclarece Paulo Barddal, diretor de Comunicação e Marketing da Associação das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Campinas (Transurc).

Os articulados têm chassi Mercedes-Benz O500, carroceria Comil Doppio e são totalmente adaptados para portadores de necessidades especiais, com cinco portas, inclusive com elevadores dos dois lados. O total do investimento é de R$ 3,6 milhões, pois cada articulado custou R$ 600 mil.

Todos os novos ônibus têm elevadores que facilitam o embarque e o desembarque de pessoas com dificuldades motoras, além de balaústres emborrachados para direcionamento ao botão de parada, com indicação em Braille. Ainda contam com bancos acolchoados e especialmente identificados para obesos, idosos e gestantes, e encostos mais altos, que oferecem maior conforto e comodidade aos usuários.

Com a renovação, Campinas chega à marca de 56% de veículos totalmente acessíveis das concessionárias do transporte coletivo urbano. Hoje, são 516 carros com piso baixo ou elevadores.

Linhas beneficiadas:
Linha 1.21 – Terminal Ouro Verde (Inclusivo) – 6 novos ônibus
Linha 3.11 – Jardim Santa Mônica (Inclusivo) – 3 novos ônibus
Linha 3.30 – Unicamp – 3 novos ônibus
Linha 3.42 – Jardim Aliança (Inclusivo) – 2 novos ônibus
Linha 3.82 – Cambuí/Campinas Shopping – 4 novos ônibus
Linha 3.90 – Joaquim Egídio – 2 novos ônibus

O Expresso Bilhete Único, que permite o cadastro e compra do Bilhete Único Comum, segue do Shopping Parque das Bandeiras para a Avenida Moraes Salles, em frente a Guarda Municipal, na próxima segunda-feira, dia 1° de abril. O micro-ônibus ficou no estacionamento do Shopping Parque das Bandeiras de 25 de fevereiro a 28 de março, entre a entrada de pedestres da Avenida John Boyd Dunlop e o Acesso A para os veículos, local de grande fluxo de pedestres.

No micro-ônibus, o Bilhete Único Comum é feito na hora e o usuário já sai podendo usufruir os benefícios do cartão. “Hoje, não existe qualquer tipo de burocracia para fazer o Bilhete Único Comum. O cadastro é realizado sem qualquer custo, a emissão do BU é feita na hora e a própria recarga, que pode ser feita com o valor que o cliente desejar, é possível em mais de 300 pontos da Rede de Representantes Credenciados da Transurc, além dos terminais e do Poupatempo Centro”, explica Paulo Barddal, diretor de Comunicação e Marketing da Associação das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Campinas (Transurc).

O Expresso Bilhete Único tem sido uma excelente alternativa aos usuários do transporte coletivo urbano de Campinas que desejam fazer o cadastro para o Bilhete Único Comum, a recarga e a consulta desse tipo de cartão. O atendimento será feito das 8h30 às 18h30, de segunda a sexta-feira.

Como fazer

Para efetuar o cadastro, o interessado precisa levar apenas a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) ou a carteira de identidade (RG) e o CPF. Além disso, quem utiliza o Bilhete Único pode recuperar os créditos em caso de perda, roubo, furto ou inutilização do cartão. Basta entrar em contato com a Transurc pelo 0800 014 02 04, pedir o bloqueio do cartão original e solicitar a emissão de uma segunda via. O saldo do cartão antigo será automaticamente transferido para o novo.

Um ônibus da VB Transportes e Turismo que operava nesta madrugada na linha 1.50 – Terminal Vila União foi incendiado às 0h05. O ônibus, ano 2004, fazia a sua última viagem e havia parado no ponto para duas passageiras descerem.
“Dois homens, usando blusas de moleton com capuz, entraram no veículo. Após o ônibus percorrer cerca de 100 metros, um deles sacou um revólver e mandou o motorista descer”, diz Paulo Barddal, diretor de Comunicação e Marketing da Associação das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Campinas (Transurc), à qual a VB é associada.
Tão logo o motorista desceu, eles começaram a espalhar gasolina por todo o ônibus e colocaram fogo. A perda foi total e o prejuízo estimado é de R$ 80 mil. O crime de vandalismo foi registrado no plantão do 1º Distrito Policial de Campinas.

O Programa Escolas nas Garagens começou dia 4 de março com a participação dos alunos da Escola Estadual Dr. Enéias César Ferreira, do DIC IV. “O conteúdo é muito interessante, bem informativo. Os alunos ficaram sabendo sobre os coletivos, os diferentes meios de transporte, sobre numerais. Está aprovado”, avaliou Jesulei Grigoletto, inspetora que acompanhou os alunos no passeio.
Os alunos seguiram da escola para o centro de Campinas. Lá conheceram pontos históricos da cidade e tomaram um lanche na Choperia Giovannetti. Depois seguiram até a garagem da VB Transportes e Turismo, na região do Ouro Verde, onde foram apresentados à rotina do sistema e ao processo de manutenção dos veículos.
Em seguida, viram uma peça de teatro e pintaram o desenho do Businho, para participar de um concurso de pintura mensal, no qual o vencedor ganha um passeio na maria-fumaça, que circula entre Campinas e Jaguariúna, cortesia da Associação Brasileira de Preservação Ferroviária (ABPF). No retorno à escola, os alunos receberam um kit escolar com caneta, régua, adesivos e cadernos.
Inscrições abertas – as inscrições estão abertas para turmas do 5° ano do Ensino Fundamental de escolas públicas estaduais e municipais de Campinas. Para participar, os responsáveis devem entrar em contato com a Diretoria de Comunicação da Transurc pelo telefone (19) 3731-2643. Na semana em que a visita for realizada, a Transurc entrará em contato com a escola e solicitará o envio da lista de alunos, das autorizações dos pais ou responsáveis e do nome dos acompanhantes adultos (um para cada grupo de 15 crianças).
“O programa existe desde 2004 e é uma iniciativa da Transurc e das concessionárias do transporte coletivo urbano de Campinas. Desde o início, já participaram 85 mil crianças. Como a procura é sempre alta, pedimos que as escolas reservem as datas e garantam as visitas o quanto antes”, esclarece Paulo Barddal, diretor de Comunicação e Marketing da Transurc. O programa também tem o apoio da Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (Emdec).