Com os ataques de ontem à noite, número de veículos da mesma empresa atacados desde a quinta-feira chega a seis
Mais quatro ônibus da VB Transportes e Turismo que opera na área 3 (linhas verdes) foram alvo de crimes de vandalismo ontem, em Campinas. Os atos terroristas ocorreram entre 22h40 e 23h55 e todos tiveram a mesma forma de ataque. Uma dupla utilizando uma motocicleta, armada de revólver para intimidar os motoristas e fazendo ameaças verbais.
“É a mesma maneira como foi atacado o ônibus da VB3 na quinta-feira, na Avenida Nossa Senhora de Fátima, próximo ao Supermercado Dalben, e ontem de manhã, onde outro ônibus da mesma empresa foi atacado, perto do Balão da Morte, no cruzamento das avenidas Jorge Tibiriçá com a Engenheiro Francisco de Paula  Souza”, afirma Paulo Barddal, diretor de Comunicação da VB.
Dos quatro crimes ocorridos ontem à noite, o primeiro aconteceu às 22h40, quando o veículo de prefixo 3898, da linha 3.49, com 30 passageiros no interior, foi atacado na Avenida da Saudade, perto ao Colégio Dom Barreto, que teve um vidro bandeira do lado direito quebrado. “O segundo ocorreu na Avenida Engenheiro Francisco de Paula Souza. O veículo de prefixo 3878 fazia a linha 3.78 e tinha um passageiro dentro. O ataque ocorreu por volta das 23h05, perto da EPTV, e foram quebrados um vidro da porta traseira, um da janela do lado esquerdo, outro do lado direito, além de um vidro bandeira do lado direito”, diz Barddal.
O terceiro caso foi às 23h40, na Avenida Brasil, perto do Colégio Mackenzie. Esse veiculo, de prefixo 3014, fazia a linha 3.13 e estava sem passageiro e teve um vidro da porta dianteira quebrado. O último foi contra o ônibus de prefixo 3948 e o crime aconteceu às 23h55, na Rodovia Professor Zeferino Vaz. O veículo fazia a linha 3.31, estava com cinco passageiros dentro e foi atacado próximo ao Bambini. Foi quebrado um vidro bandeira do lado direito.
“O que nos chamou a atenção é que todos os ataques têm forma semelhante de ação e todos os ataques com motociclistas ocorreram contra seis veículos da mesma empresa. Estamos registrando os boletins de ocorrência desses crimes mas, infelizmente, suspeitamos que se trata de mais um desdobramento da disputa sindical que está, há muito tempo, atrapalhando o transporte e a população de Campinas”‘ afirma Barddal. A empresa agora espera que a Polícia Civil tome as providências cabíveis no sentido de apontar os autores dos crimes.