A VB Transportes e Turismo, concessionária que opera 55 linhas na área 3 (verde), foi surpreendida hoje com a paralisação dos seus colaboradores. O movimento, que deixou 283 ônibus parados na garagem da empresa, atingiu cerca de 75 mil usuários no período da manhã.

O motivo alegado pelos funcionários está relacionado á troca do plano do convênio médico. As associadas da Transurc vinham recebendo há vários meses reclamações sobre a qualidade dos serviços prestados pelo plano de saúde anterior e os próprios colaboradores exigiam a troca por um convênio médico mais robusto e com abrangência nacional. Após a apresentação de diversos nomes, em acordo com o Sindicato dos Rodoviários de Capinas e Região, as operadoras fecharam contrato com a Amil, conceituada empresa do set or.

O plano antigo custava R$ 71,00 e a maior parte desse valor era custeado pelas próprias concessionárias. Hoje, o Plano Amil custa R$ 79,99, dos quais 55% são bancados pelas empresas e 45% pelos colaboradores. “As empresas atenderam a uma reivindicação dos próprios funcionários e melhoraram o convênio médico. Mas, como todos sabemos, para se ter algo melhor e ninguém faz milagres, existe um aumento nos custos”, argumenta Paulo Barddal, diretor de Comunicação e Marketing da Associação das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Campinas (Transurc), ao qual a VB é associada.

O novo plano, que está especificado na Cláusula 22 do Acordo Coletivo da categoria, prevê a coparticipação dos colaboradores. Estão previstas três consultas anuais gratuitas e, a partir da quarta consulta, a Amil cobra uma taxa de R$ 25,00. A empresa de convênio médico estipulou um valor de R$ 2,00 para os exames simples e R$ 10,00 para s exames mais complexos.

Está ainda estabelecido, pelo contrato firmado entre as concessionárias e a Amil, que em um prazo de 90 dias, a contar de 1º/8/2013, o convênio implantará o Centro Médico Amil/Rodoviários, cujo atendimento ao trabalhador não haverá limite ou coparticipação.

A VB Transportes e Turismo, assim como as demais, divulgaram as informações entre os colaboradores e essa garagem que opera a área 3  foi a única entre as seis garagens que pararam por esse motivo. As demais, cujos colaboradores têm o mesmo plano de saúde, trabalharam normalmente no dia de hoje.