Tecnologia utilizada na Fórmula 1 e no Moto GP, agora nos ônibus da VB1 e VB3, tornará viagens mais confortáveis e seguras assim como reduzirá a emissão de poluentes em 7t/dia

As concessionárias de ônibus urbanos de Campinas VB1 e VB3 realizaram na última sexta-feira, o lançamento oficial do sistema de telemetria, uma moderna tecnologia embarcada similar à utilizada nos carros de Fórmula 1 e motocicletas do Moto GP. A telemetria já está instalada nos 580 ônibus e nas vans do Programa de Acessibilidade Inclusiva (PAI) dessas operadoras. E, a partir de amanhã, quando o sistema entrará em operação, a estimativa é de uma redução de até sete toneladas diárias na emissão de poluentes na atmosfera.

“A telemetria, além de contribuir para reduzir a poluição, trará diversos outros benefícios para a comunidade, usuários e motoristas. A tendência, a partir de agora, é que as viagens fiquem mais confortáveis e seguras para todos”, afirma Paulo Barddal, diretor de Comunicação da VB Transportes e Turismo. Essas concessionárias foram as primeiras a fazer a instalação dessa moderna tecnologia na Região Metropolitana de Campinas (RMC).

A partir de amanhã, quando os motoristas entrarem nos ônibus, não adiantará simplesmente girar a chave na ignição. Eles terão de utilizar as senhas pessoais que receberam na sexta passada, durante um evento realizado na garagem da VB3 (linhas verdes).

“Se não digitarem as senhas recebidas no teclado instalado nos painéis dos ônibus, simplesmente o motor não será ligado. E, a partir do instante em que os motores forem ligados, informações como rotação do motor, consumo, temperatura do óleo, velocidade, frenagem, graus das curvas e aceleração, entre diversos outros itens, serão comunicados aos Centros de Controle Operacional (CCO) instalados nas garagens. A comunicação é automática e em tempo real”, diz Barddal.

Os motoristas também terão acesso às informações pois existe um painel com luzes nas cores verde, amarelo, laranja e vermelho que apontará instantaneamente se a condução está sendo feita de forma segura ou não.

“Eles saberão se a aceleração e a frenagem estão sendo feitas dentro dos parâmetros corretos, assim como as curvas. E se, por exemplo, a velocidade está excessiva. Com isso, haverá economia de combustível, menor número de acidentes e, em síntese, uma viagem muito mais segura e confortável tanto para os usuários quanto para os operadores”, afirma.

A telemetria também conta com uma função denominada shutdown, ou seja, se o motorista deixar o veículo ligado por um período superior a três minutos, seja na garagem, dentro dos terminais ou ainda nos pontos iniciais ou finais, em marcha-lenta, o motor será desligado automaticamente. Durante os últimos quatro meses, o sistema de telemetria foi testado em diversos ônibus das empresas.

O projeto piloto apresentou números significativos, entre eles a redução em 50% no número de quebras nos ônibus, redução de 65% nas reclamações relacionadas à dirigibilidade e 60% a menos no número de acidentes. “É possível saber se há superaquecimento no motor. Agora, com a telemetria, se o CCO perceber qualquer anomalia, imediatamente é emitido um aviso de alerta para que o motorista pare o ônibus imediatamente, evitando quebras ou minimizando riscos de acidentes”, explica.

Outro detalhe importante é que o sistema permite a valorização dos melhores profissionais e alguns vícios, como acelerações e frenagens bruscas, ficarão mais perceptíveis para os próprios motoristas. “Espera-se, inclusive, que haja uma mudança na maneira de condução dos veículos. E todo mundo ganha com isso: a cidade, o usuário e os profissionais do setor”, afirma Barddal.

 O que é telemetria?

A telemetria permite controlar e medir qualquer coisa à distância. Com essa moderna tecnologia, é possível ter acesso às informações importantes relacionadas às máquinas em geral, automóveis, geradores, barcos, guindastes e ônibus, entre outros. O sistema permite que os motoristas, as empresas e gestores obtenham os dados de forma automática, parado ou em movimento. Independente da distância é possível coletar e acompanhar as informações em tempo real.