Superação e gratidão são características muito fortes de Isabelly Martins dos Santos. A menina, que perdeu as mãos e parte das pernas por conta de uma doença, não esconde a satisfação no encontro semanal com Sandro Rogério da Luz, motorista da Expresso Campibus que dirige o ônibus do Programa de Acessibilidade Inclusiva (PAI) usado no traslado entre sua casa, no bairro Vila União, e o Centro de Reabilitação de Sousas. “O dia em que preciso usar o PAI, me sinto mais feliz. Principalmente se o motorista for o Rogério”, revela a menina.

Com seu jeito brincalhão, o motorista cativa pessoas de todas as idades, tanto que ganhou uma homenagem da garota. “Um determinado dia a Isabelly me trouxe um desenho feito e pintado por ela. Quando olhei, fiquei todo arrepiado. Mesmo diante das dificuldades, ela conseguiu me pintar junto do ônibus do PAI”, conta emocionado.

Para completar, uma frase resumia tudo que a garota sente pelo motorista: “Você é o motorista mais legal que eu já vi. Gosto muito de você”.

Exemplos como o da pequena Isabelly são comuns na vida dos motoristas que, diariamente, encaram a rotina de transportar os usuários do PAI. Para Perone Monteiro, motorista da Onicamp Transporte Coletivo, as amizades feitas geram um vínculo diferente. “Levamos as pessoas para hospitais, clínicas de reabilitação e até para o trabalho. Por isso sentimos na pele as dificuldades pelas quais elas passam. Muitas vezes nós somos conselheiros e ouvintes delas e, por isso, o vínculo criado é bem maior”, explica.
PAIO PAI – é um serviço gratuito oferecido pelas empresas concessionárias do transporte coletivo urbano de Campinas e destinado, exclusivamente, às pessoas com deficiência física severa, associada ou não a outras deficiências, e que se utilizam de cadeira de rodas ou andadores e estejam cadastrados no serviço.

“Mensalmente temos quase 11 mil atendimentos, sendo que cerca de 80% deles de locomoção para hospitais, clínicas de reabilitação, consultas e fisioterapia”, conta Marciano Pereira, encarregado que controla a parte operacional do PAI.

Para utilizar esse serviço, o interessado ou seu responsável deverá preencher uma ficha cadastral fornecida pela Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (Emdec). Nela, além das informações pessoais, há uma avaliação médica, que deve ser preenchida por um profissional (médico) escolhido pelo interessado. As informações serão checadas e analisadas pela Emdec, antes da aprovação do cadastro.

A ficha está disponível no site www.emdec.com.br, ou na sede da empresa, que fica à Rua Dr. Salles Oliveira, 1.028, no bairro Vila Industrial.

Para obter o benefício é necessário que o interessado encaminhe à Emdec cópias do RG ou de outro documento com foto, comprovante de residência e fotografia 3×4 para a emissão da carteira do PAI.

O atendimento do PAI é realizado de segunda a sexta, das 6h às 23h30, e aos sábados, domingos e feriados, das 7h30 às 18h. Para eventos especiais poderão ser agendados outros horários. O agendamento do serviço pode ser feito pelo telefone 3772-1517, que funciona 24 horas por dia.