Neste mês, um dos maiores avanços do transporte coletivo de Campinas completou sete anos. O Bilhete Único foi implantado em 1º de maio de 2006 e, desde então, permitiu que os usuários comuns, os estudantes e as empresas deixassem de gastar mais de R$ 442,5 milhões graças ao benefício da integração temporal, que também tornou possível o uso de ônibus e micro-ônibus do sistema InterCamp, deixando o passageiro livre para escolher seus itinerários. Ao todo, são mais de 844 mil cartões ativos.

O número de integrações também aumentou. Se em 2006 o trabalhador precisava caminhar para chegar até a empresa, pois tinha apenas um passe para usar, hoje ele faz a integração. Naquela época, apenas 7% das viagens eram integradas, ou seja, somente esse percentual de empresas pagava duas passagens para o funcionário. Atualmente, o percentual de viagens integradas subiu para 22%, de um total de 640 mil viagens diárias.

Além desses benefícios, o sistema de bilhetagem eletrônica evoluiu e desde março deste ano é possível fazer até três integrações no período de duas horas, de segunda-feira a sábado, e também duas horas, aos domingos e feriados, pagando apenas uma tarifa.

Existem cinco modelos de Bilhete Único que mudam conforme o tipo de usuário: o Comum, na cor vermelha para todos os tipos de passageiros, o Vale-Transporte, na cor verde, que é solicitado pela empresa na qual o usuário trabalha, o Escolar, na cor azul, que dá o desconto de 60% no valor da passagem para os estudantes e o Gratuito, na cor roxa, concedido aos idosos. A primeira via do cartão é gratuita. O usuário ainda tem a vantagem de poder avisar à Associação das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Campinas (Transurc) se perder ou tiver o cartão roubado e, dessa forma, bloquear o saldo de crédito existente.

A atendente Aline Daniely da Conceição, por exemplo, perdeu o seu Vale-Transporte e veio até a sede da Transurc para fazer a segunda via, pois acredita que o cartão é vantajoso. “Facilita muito a vida. Dá para pegar vários ônibus e o atendimento aqui foi rápido”, conta.

O aposentado Antonio Evangelista da Silva também esteve na Transurc para fazer o seu cartão, que assegura mais assentos dentro dos veículos e condições de igualdade com os demais passageiros. Mesmo o cadastramento do Bilhete Único Idoso sendo opcional, já que por lei, pessoas com mais de 65 anos podem viajar de graça mediante a apresentação de Carteira de Identidade, ele preferiu fazer o seu passe. “Com o cartão o acesso ao ônibus fica mais fácil”, acredita. Seu cartão ficou pronto na hora e ele já pode voltar para sua casa no Jardim das Bandeiras II usufruindo do benefício.

O Bilhete Único atende pessoas de todas as idades. A estudante Larissa Pereira Neves, que está no 3° ano do ensino médio da Escola Estadual Prof. Adalberto Prado e Silva também tem o seu cartão. “Sempre uso as linhas 2.44 (Vila Teixeira / Shopping Dom Pedro) ou 3.78 (Carrefour Valinhos / Shopping Iguatemi para ir e voltar da escola”, conta.

Quem é usuário do Bilhete Único Comum, além de fazer a recarga nos postos de atendimento da Transurc, também pode recarregar o cartão em um dos 300 estabelecimentos ligados à Rede Credenciada.

Além de proporcionar a integração e agilidade, o cartão BU proporciona mais segurança aos usuários. A utilização do cartão diminui o volume de dinheiro em circulação dentro dos ônibus, reduzindo o risco de assaltos.