Programa oferecerá cursos gratuitos para aperfeiçoar mão de obra de cobrador

As concessionárias VB Transportes e Turismo, Itajaí Transportes Coletivos, Expresso Campibus, Onicamp Transporte Coletivo e Coletivos Pádova, integrantes da Associação das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Campinas (Transurc), implantaram o Programa de Aperfeiçoamento Profissional (PAP) para o setor de transporte coletivo urbano de Campinas. O principal objetivo do PAP é reciclar, aperfeiçoar e preparar a mão de obra dos cobradores para exercer novas funções, todas elas com salários maiores.

O programa, feito sob a supervisão da Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (Emdec), tem como parceiros o Serviço Social do Transporte e Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte (Sest/Senat) e o Centro de FoLancamento_PAP (29)rmação de Condutores (CFC) de Campinas, pertencente à Associação das Auto-Escolas de Campinas.

Com o PAP, os cobradores que atuam no sistema poderão estudar e preencher as vagas de condutor de veículos (motorista), mecânico, auxiliar de mecânico, abastecedor, almoxarife e fiscal de tráfego após frequentarem as aulas nas salas do Sest/Senat. Também foi firmado um contrato com o CFC de Campinas para que os colaboradores que têm CNH categoria B ou C possam fazer a mudança para a categoria D. “Todos os cursos, inclusive o de mudança de categoria de CNH, serão gratuitos e poderão ser feitos pelos interessados fora do horário de trabalho”, afirma Paulo Barddal, diretor de Comunicação e Marketing da Transurc.O PAP é um compromisso assumido com a Emdec, órgão gerenciador do sistema de transporte coletivo urbano, e com o Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários de Campinas e Região, para preparar e qualificar a mão de obra de cobradores para outras funções, todas com ganhos salariais maiores que o piso pago hoje para a função.

As inscrições para os cursos do PAP começam a ser feitas no dia 13 e terminam no dia 31 de agosto. As fichas de inscrição podem ser retiradas no departamento de Recursos Humanos das concessionárias, no Sindicato dos Rodoviários de Campinas e Região ou podem ser impressas após acessar o site www.transurc.com.br/pap.

O RH das empresas centralizará o recebimento das fichas de inscrição para que, posteriormente, sejam montadas as turmas e horários para cada um dos cursos

oferecidos. O início das aulas, que serão realizadas de segunda a sexta-feira, das 8 às 12 horas, e das 16 às 20 horas, e aos sábados, das 8 às 12 horas e das 13 às 18 horas, será no dia 15 de setembro.

Os interessados em fazer a mudança para a categoria D, exigida para poder dirigir ônibus, precisam ter mais de 21 anos, fazer a inscrição, passar pelos exames médico e psicotécnico, fazer 15 aulas práticas e passar no exame prático.

Cursos gratuitos

As concessionárias e a Transurc, com o intuito de oferecer a oportunidade de aperfeiçoamento e crescimento profissional, sem qualquer custo para os funcionários, celebraram uma parceria com o Sest/Senat, além de firmar um convênio com o Curso de Formação de Condutores (CFC) de Campinas.

Serão oferecidos aos interessados os seguintes cursos:
1 – Condutor de Veículos de Transporte Coletivo de Passageiros;
2 – CFC para Formação de Motorista Profissional;
3 – Mecânica Básica em Motor Diesel;
4 – Fiscal de Transporte Urbano;
5 – Abastecedor;
6 – Almoxarife.

Os cursos que serão realizados dentro das salas do Sest/Senat têm cargas horárias de 50 ou 80 horas/aula. Considerando que serão feitas 20 horas/aula por semana, no máximo, os inscritos obterão seus certificados de conclusão em até quatro semanas, ou seja, em um mês.

Todo o conteúdo programático dos cursos estará à disposição dos interessados no RH das concessionárias, no Sindicato dos Rodoviários de Campinas e Região, no hotsite www.transurc.com.br/pap e ainda nas Cartilhas de Profissões, material que faz parte das peças da campanha de endomarketing. Foram desenvolvidos diversos materiais para que todos os cobradores recebam informações.

Cartazes serão colocados em quadro de avisos internos, adesivos serão colados nas caixinhas dos ônibus, em espelhos dos banheiros, banners serão colocados nos refeitórios, tags nas mochilas e bottons serão usados por supervisores, gerentes e pessoas dos RHs. Todo esse material será entregue dentro das garagens e pelo Sindicato dos Condutores a partir de amanhã, quando começam a ser feitas as inscrições.

Para informar os familiares, foi feita uma sobrecapa informativa para o jornal interno, entregue junto com a cesta básica.

Cenário

Hoje, a realidade do setor de transporte coletivo urbano em Campinas não é diferente da notada em outras áreas no Brasil. O país vive um apagão de mão de obra em outros segmentos do Transporte, Medicina, Engenharia, Construção Civil e até nos setores em que se exige pouca qualificação dos trabalhadores.

Ao cenário de carência de mão de obra, alia-se o fato de que o setor de transporte coletivo em Campinas está passando por uma fase de transformação. O uso da tecnologia permitirá a criação de novas funções e o reaproveitamento da mão de obra existente hoje, só que mais qualificada, está previsto pelas concessionárias e Transurc.

Com a instalação dos corredores de Bus Rapid Transit (BRT), funções como auxiliar de plataforma, bilheteiros e segurança de plataforma também passarão a existir. Outro fator importante e também considerado na elaboração do PAP é o fim da utilização do dinheiro para pagamento de viagens no interior dos veículos do transporte coletivo, a partir de 1º de outubro.

Cartão permitirá que usuário faça até duas viagens mesmo sem ter saldo

O número de cadastros para obtenção do Bilhete Único Comum cresceu 66% nesta última semana. Entre os dias 29 e 31 de julho, foram feitos 385 novos cartões, enquanto no mesmo período de junho, foram confeccionados 232. “Os usuários do transporte público que ainda pagam passagem com dinheiro já notaram que o ideal é solicitar o Bilhete Único Comum. A partir de 1º de outubro, esse cartão terá ainda mais uma comodidade, a de poder fazer até duas viagens sem ter saldo”, argumenta Paulo Barddal, diretor de Comunicação e Marketing da Associação das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Campinas (Transurc). O valor será reposto pelo quando for feita uma nova recarga no cartão.

O aumento da procura pelo Bilhete Único Comum, que é de graça e cuja emissão é feita na hora, ocorreu logo após a publicação do decreto n° 18.423, de 28 de julho, que determina o pagamento da tarifa dentro dos ônibus apenas com cartões eletrônicos, a partir do dia 1º de outubro. Hoje, o BU Comum já permite ao cliente usar até três ônibus em duas horas, pagando apenas uma passagem. “O cartão BU traz mais segurança aos usuários, já que evita a circulação de dinheiro nos veículos. E mesmo que o usuário perca o bilhete, o saldo pode ser bloqueado pelo Disque Transurc (0800 014 0204) e recuperado gratuitamente”, explica Barddal.

Além da sede da Transurc, o cartão Bilhete Único Comum pode ser feito nos terminais Barão Geraldo, Campo Grande, Central, Mercado, Metropolitano e Ouro Verde, no Poupatempo Centro, no Expresso Bilhete Único, que fica na sede da Guarda Municipal, no Centro, e na Drogaria Sidarta, credenciada que fica no Jardim Londres. Basta o interessado apresentar o CPF e o RG.

A recarga do cartão pode ser feita postos de atendimento nos terminais, na sede e também em um dos 290 estabelecimentos ligados à Rede Credenciada. A Transurc já estuda a ampliação dos pontos de distribuição e cadastro do Bilhete Único Comum. “Em breve, abriremos uma nova loja da Transurc na Rua Anchieta, nº 55, no Centro. Também estaremos ampliando o nosso quadro de funcionários para as novas demandas”, diz Barddal.

 

Bilhete Viagem

Para atender um público específico, que eventualmente usa ônibus ou aquelas pessoas que vêm de outras cidades e precisam utilizar o transporte coletivo, foram criados os cartões Bilhete 1 Viagem e Bilhete 2 Viagens. Com o cartão Bilhete 1 Viagem, o usuário paga uma passagem, no valor de R$ 3,30 e mais R$ 2,00 pelo valor do cartão.

Já o Bilhete 2 Viagens vem carregado com duas passagens no valor de R$ 6,60 mais os R$ 2,00 do casco. Após ser utilizado, o usuário será reembolsado do valor do casco de R$ 2,00 na sede da Transurc, nos terminais Central, Metropolitano, Mercado, Ouro Verde, Barão Geraldo, Campo Grande e Poupatempo Centro, assim como na nova loja que será aberta em breve na Avenida Anchieta, nº 55, Centro.

Empresas renovam frotas e dão mais acessibilidade à população de Campinas; entrega ocorreu hoje na Praça Arautos da Paz

As concessionárias VB Transportes e Turismo e Onicamp Transporte Coletivo entregaram 37 ônibus à população durante cerimônia na Praça Arautos da Paz, hoje pela manhã. Com investimentos de R$ 21,96 milhões, os veículos beneficiam 40 mil passageiros que circulam diariamente em linhas das áreas 1 e 4 do Sistema InterCamp. Com essa renovação, o número total de veículos adaptados em Campinas sobe para 62% da frota operante das concessionárias.

“É com satisfação que as empresas fazem a entrega desses ônibus no momento que comemoramos 240 anos do aniversário de Campinas, uma cidade de vanguarda”, afirmou em discurso Paulo Barddal, diretor de Comunicação e Marketing da Associação das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Campinas (Transurc).

Superarticulados

O grande diferencial da entrega foram os 10 ônibus superarticulados, com chassi Mercedes-Benz modelo O500UDA Euro V e carroceria Marcopolo Viale BRS, entregues pela VB Transportes e Turismo para a área 1 do Sistema InterCamp, que compreende as regiões do Ouro Verde, Vila União e Corredor Amoreiras. Com piso baixo e 23 metros de comprimento, os veículos têm capacidade para transportar 200 passageiros, sendo 70 sentados. O investimento é de R$ 950 mil em cada. Os superarticulados atendem a linha 1.21 – Terminal Ouro Verde.

A área 1 também recebeu 10 novos articulados com chassi Mercedes-Benz modelo O500 MA Euro V e carroceria Caio Millennium III, com 18 metros de comprimento e capacidade para transportar 150 passageiros. Os investimentos são de R$ 800 mil por unidade. Os novos articulados circulam na linha 1.20 – Terminal Ouro Verde. Os R$ 17,5 milhões para a aquisição dos veículos vieram da linha de crédito do Finame do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). “O investimento em renovação da frota é constante”, enfatizou Belarmino da Ascenção Marta Junior, diretor da VB.

Já a área 4, que compreende as regiões da Rodovia Santos Dumont e de Viracopos, ganhou 10 novos carros com chassi Volvo modelo 18276 e carroceria Mascarello modelo Gran Via, no valor de R$ 257.390,00 cada, num total de R$ 2,57 milhões. Esses novos veículos irão para as linhas 4.13 – Jardim São José, 4.22 – Jardim Nova América e 4.12 – Parque Eldorado.

No evento também foram apresentados sete novos ônibus acessíveis com carroceria Neobus modelo Mega e chassi Volkswagen modelo 17.230 OD, com investimento total de R$ 1,89 milhão. Os sete novos ônibus já circulam na linha 4.13 – Jd. São José. Os R$ 4,46 milhões para a aquisição dos veículos da Onicamp vieram da linha de crédito do Finame do BNDES e teve como agente financeiro o banco Volvo.

Linhas atendidas

1.20 – Terminal Ouro Verde;

1.21 – Terminal Ouro Verde;

4.12 – Parque Eldorado;

4.13 – Jardim São José;

4.22 – Jardim Nova América.

 

As concessionárias do transporte coletivo urbano de Campinas registraram 72 assaltos dentro de seus ônibus em maio. Este número representa um aumento de 414% em relação ao mesmo período do ano passado, quando ocorreram 14 roubos, e um aumento de 28,57% em relação aos 56 assaltos ocorridos em abril. “O aumento no número de roubos é preocupante. As concessionárias fazem Boletim de Ocorrência, enviam mensalmente relatórios para as autoridades policiais e também continuam instalando câmeras de segurança nos ônibus mas, mesmo assim, registramos um maior número de crimes”, diz Paulo Barddal, diretor de Comunicação e Marketing da Associação das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Campinas (Transurc), à qual as concessionárias do transporte são ligadas.

Enquanto no ano passado a média diária de assaltos em maio foi de 0,45, neste ano, esse número saltou para 2,32 assaltos por dia. O valor levado em dinheiro também aumentou consideravelmente. Enquanto em maio do ano passado foram levados R$ 1.894,80 dos caixas dos ônibus, neste ano, foram R$ 4.642,20 roubados em maio.

Os bairros que mais registraram ocorrências em maio foram DIC IV, Jardim Campos Elíseos, Jardim Aeroporto, Jardim São Marcos, Vila Padre Anchieta, Jardim do Trevo, Parque Valença, Jardim Itajaí e Jardim Paraíso. “Todos os motoristas e cobradores são orientados pelas empresas a não reagir aos assaltos e também a registrar um Boletim de Ocorrência logo após a ação dos bandidos”, completa Barddal.

As concessionárias do transporte coletivo urbano de Campinas registraram 110 assaltos dentro de seus ônibus entre março e abril. Este número representa um aumento de 61,76% em relação aos 68 assaltos ocorridos no segundo bimestre em 2013. “O aumento no número de roubos é preocupante. As concessionárias fazem Boletim de Ocorrência, enviam mensalmente relatórios para as autoridades policiais e também continuam instalando câmeras de segurança nos ônibus mas, mesmo assim, registramos um maior número de crimes”, diz Paulo Barddal, diretor de Comunicação e Marketing da Associação das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Campinas (Transurc), à qual as concessionárias do transporte são ligadas.
Enquanto no ano passado a média diária de assaltos nesses dois meses foi de 1,11, neste ano, esse número saltou para 1,80 assaltos por dia. O valor levado em dinheiro também aumentou consideravelmente. Enquanto no ano passado foram levados dos caixas dos ônibus R$ 4.950,35 entre março e abril, neste ano, foram R$ 8.499,30. Isso porque no ano passado, o valor da passagem era de R$ 3,30, o que teoricamente leva a crer que havia mais dinheiro circulando.

Situação crônica
Os bairros que mais registraram ocorrências em abril foram Dic IV, Jd. Campos Elíseos, Jd. Sta. Mônica, São Marcos, Jd. Pe. Anchieta, Nova Aparecida, Jd. Bandeiras, Monte Cristo e Pq. Itajaí. “Todos os motoristas e cobradores são orientados pelas empresas a não reagirem e a registrarem um Boletim de Ocorrência logo após a ação dos bandidos”, completa Barddal.

A Onicamp Transporte Coletivo entregou sete novos ônibus acessíveis para a área 4 do Sistema InterCamp, com investimentos de R$ 1,89 milhão. Quatro veículos já beneficiam cerca de oito mil passageiros que circulam por dia na linha 4.13 – Jardim São José e os demais serão colocados em outras linhas que rodam nas regiões da Rodovia Santos Dumont e de Viracopos. A acessibilidade está agora em 60%.
Com carroceria Neobus modelo Mega e chassi Volkswagen modelo 17.230 OD, todos os sete novos ônibus são acessíveis. Eles são dotados de elevador, para acesso de pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida; balaústres emborrachados para direcionamento ao botão de parada; botão de parada com indicação em braille; espaço para cadeirantes; bancos para idosos, obesos e gestantes; além de encostos dos bancos mais altos, oferecendo maior conforto e comodidade aos usuários.
Outra informação relevante é que os novos veículos possuem câmbio automático, ou seja, os motoristas não irão mais precisar trocar de marcha. Seu motor Euro 5 atende às determinações do Proconve, com normas exigentes para a redução de emissão de poluentes. Os ônibus também possuem câmeras instaladas e vão receber, em breve, monitores LCD.

Câmeras são instaladas em veículos

A Onicamp iniciou a instalação de câmeras em seus veículos após uma fase de testes para escolher o melhor sistema para sua operação. Nessa primeira fase, foram instaladas três câmeras por carro, em 30 ônibus de sua frota.
Somando esses carros com os sete novos veículos adquiridos pela empresa, 44,57% de sua frota conta com câmeras de monitoramento. Câmeras ainda serão instaladas nos demais 46 ônibus da frota no segundo semestre de 2014.
A Onicamp opera na área 4 do Sistema InterCamp, que compreende as regiões da Rodovia Santos Dumont e de Viracopos. O investimento visa garantir a segurança dos passageiros, motoristas e cobradores, já que as câmeras coíbem assaltos e o vandalismo.
Na área 1 do Sistema InterCamp, que atende as regiões do Ouro Verde, da Vila União e do Corredor Amoreiras, 100% da frota composta por 313 ônibus convencionais e articulados já tem câmeras. Já na área 2, que circula no Campo Grande, Padre Anchieta e Corredor John Boyd Dunlop, 65,31% dos 271 veículos já têm câmeras. Na área 3, que compreende as regiões de Barão Geraldo, Sousas, Rodovia Campinas–Mogi, Amarais e Corredor Abolição, 92,19% dos 333 carros da frota têm vigilância.

A Associação das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Campinas (Transurc) e seus postos de recarga de Bilhete Único atenderão em horários especiais nos dias de jogos da Copa do Mundo 2014.
Na sede da associação, localizada na Rua 11 de Agosto, 757, Centro, e no Expresso Bilhete Único, o atendimento nos dias 12 e 23 de junho será até às 15h. Já no dia 17, o atendimento será até às 14h.
Nos postos de atendimento dos terminais Barão Geraldo, Campo Grande, Central, Mercado, Metropolitano e Ouro Verde, as vendas serão interrompidas nos dias 12 e 23 de junho, das 17h às 19h. No dia 17 de junho, os postos ficarão fechados das 16h às 18h. Após o término dos jogos, o atendimento será normal até o horário de fechamento, às 21h.

A Associação das Empresas do Transporte Coletivo Urbano de Campinas (Transurc) implantou um projeto piloto para fazer o cadastro do Bilhete Único Comum na sua Rede de Representantes Credenciados. O software que permite que a operação seja feita foi desenvolvido pelo corpo técnico da Transurc, empresa que se transformou em referência na América Latina para gestão de sistemas de bilhetagem eletrônica. “Trabalhamos no sentido de expandir os pontos de cadastramento do Bilhete Único além dos terminais de ônibus e na nossa sede. Temos hoje 290 estabelecimentos comerciais credenciados em toda a cidade e queremos aproveitar o potencial para facilitar ainda mais a vida dos usuários de ônibus”, afirma Paulo Barddal, diretor de Comunicação e Marketing da associação.

Os primeiros testes começaram a ser realizados ontem no credenciado Drogaria Sidarta. O ponto foi escolhido devido à sua localização na Rua Oswaldo Barthelson, 1.111, uma via de grande movimento, além de ter condições para fazer o atendimento, com computador no balcão com acesso à internet e atendente disponível. Para fazer a primeira via do cartão Bilhete Único Comum no local, basta o interessado apresentar RG, CPF ou carteira de habilitação.

Com esses documentos, é possível verificar se o usuário tem algum tipo de cartão cadastrado em seu nome e, caso não tenha, o Bilhete Único Comum é feito imediatamente. O cartão vem pré-carregado com duas tarifas (R$ 6,00), pagas logo após a retirada do cartão, que pode ser utilizado em seguida. Posteriormente, se a pessoa quiser personalizar o cartão com o nome, poderá dirigir-se até a sede da Transurc, na Rua 11 de Agosto, 757, Centro.

Economia e benefícios

Quem tem o cartão Bilhete Único pode usar até três ônibus no período de duas horas e o Passe Lazer dois domingos por mês. O usuário ainda tem a vantagem de poder avisar à Transurc se perder ou tiver o cartão roubado e, dessa forma, bloquear o saldo de crédito existente. Além de proporcionar a integração e agilidade, o cartão BU também é mais seguro para os usuários. A utilização do cartão diminui o volume de dinheiro em circulação dentro dos ônibus, reduzindo o risco de assaltos.

Recarga fácil e rápida

O cartão pode ser recarregado em um dos pontos de vendas da Transurc localizados nos terminais de ônibus Central, Mercado, Barão Geraldo, Ouro Verde, Campo Grande e no Poupatempo Centro ou ainda em um dos 290 estabelecimentos que fazem parte da Rede Credenciada. A localização dos estabelecimentos comerciais da Rede de Credenciados pode ser obtida no site da Transurc (www.transurc.com.br) ou nos guias de bolso que são distribuídos nos pontos de venda da associação.

Acordo realizado nesta manhã, na segunda audiência de conciliação no Tribunal Regional do Trabalho da 15ª Região (TRT) acabou com a possibilidade da greve, marcada para a zero hora de amanhã. O acordo, feito com a mediação do desembargador Henrique Damiano, vice-presidente do TRT, do procurador Claude Henri Appy, do Ministério Público do Trabalho (MPT), representantes das empresas e diretoria do Sindicato dos Rodoviários de Campinas, reajusta os salários e benefícios de forma linear em 9%, a partir de 1º de maio.

Tão logo a proposta foi feita pelas concessionárias, o Sindicato dos Rodoviários realizou uma assembléia no próprio saguão do TRT e a mesma foi aceita pela categoria. “Inicialmente, as concessionárias tinham oferecido um índice de reposição inflacionária de 5,82% (INPC). A primeira proposta foi feita no dia 15 de maio foi rejeitada na mesa de negociação e, na mesma audiência, as operadoras elevaram o índice para 6,32% mas, em assembléias realizadas no mesmo dia, o novo índice foi rejeitado”, afirma Paulo Barddal, diretor de Comunicação e Marketing da Associação das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Campinas (Transurc), entidade que congrega as concessionárias.

As audiências de conciliação foram pedidas pelo Sindicato das Empresas de Transporte Metropolitano e Urbano de Passageiros da Região Metropolitana de Campinas (SetCamp), que representou as concessionárias do transporte de Campinas no processo contra o Sindicato dos Rodoviários. “As concessionárias, desde o final de abril, tentam evitar a greve. Elas têm hoje um desequilíbrio econômico-financeiro no contrato e, mesmo assim, não mediram esforços para evitar um movimento paredista pois sabem que uma greve traz grandes prejuízos à população”, diz Barddal.

Também foi considerado o fato de a cidade ser subsede para a Copa do Mundo e, uma paralisação às vésperas da competição, jogaria um foco muito negativo sobre a cidade. O SetCamp e as concessionárias, na audiência do dia 15, solicitaram a presença de um representante da Prefeitura de Campinas. Hoje, compareceu o secretário Wanderley de Almeida, de Assuntos Institucionais, “que informou que há predisposição da Municipalidade em discutir o equilíbrio econômico-financeiro do sistema, embora já haja fixação no Orçamento de 2014 para reajuste dos valores subsidiados no percentual de 7%”.

A VB Transportes e Turismo, concessionária que opera 53 linhas na área verde, esclarece que teve os seus serviços paralisados hoje por cobradores e motoristas sem qualquer tipo de aviso prévio. Os 283 ônibus estão parados na garagem desde às 4 horas até o momento. Embora a empresa esteja tentando negociar com os colaboradores, até o momento, não há sequer uma representação formal pela parte dos mesmos.

O movimento, considerado ilegal e abusivo, causou prejuízo para 80 mil passageiros no período da manhã. A concessionária, em conjunto com o Sindicato dos Rodoviários de Campinas e Região, buscam entender a motivação da paralisação, uma vez que as operadoras do transporte coletivo urbano, o Sindicato das Empresas de Transporte Metropolitano e Urbano de Passageiros da RMC (Setcamp) e o sindicato da categoria estão negociando o Acordo Salarial de 2014.

Hoje pela manhã, estava agendada uma reunião entre as partes para às 9h30 mas, devido ao movimento pontual na VB, começou com uma hora de atraso e, até este momento, acontece na sede da Associação das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Campinas (Transurc). A reunião de hoje é a quarta que ocorre desde que as partes iniciaram as negociações referentes à data-base da categoria, dia 1º de maio.

A partir da próxima terça-feira, dia 13, as partes envolvidas iniciam as negociações das cláusulas econômicas, pois ainda estão aguardando por parte do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) a divulgação do INPC referente ao mês de abril. Portanto, o movimento hoje deflagrado pelos funcionários da VB pode ser considerado totalmente irregular, pois ainda está sendo finalizada a discussão das cláusulas sociais.