Número de depredações já supera o do ano passado; prejuízo, até agora, é de R$ 27,85 mil

O número de ônibus depredados das concessionárias VB Transportes e Turismo, Itajaí Transportes Coletivos e Expresso Campibus no Carnaval já supera o do mesmo período do ano passado. Desde que o evento começou, na sexta-feira até a madrugada de hoje, oito ônibus foram atacados por vândalos. No Carnaval passado, seis veículos foram destruídos.

Até agora, o prejuízo das empresas é de R$ 27,85 mil. Os criminosos quebraram vidros laterais e de vigia, câmeras de segurança, luminárias internas e as caixas dos cobradores, arrancaram janelas e alçapões de emergência e apedrejaram os vidros traseiros dos veículos. Todos os ataques aconteceram durante a madrugada, após os vândalos deixarem os locais onde acontecem as festas de Momo.

“Os atos de vandalismo ocorreram a partir das 4h20 às 7h30 da manhã. E, sempre durante o percurso, nas avenidas Brasil, John Boyd Dunlop e Carlos Lacerda. Como ocorre todo ano, a impunidade prevalece por falta de segurança”, afirma Paulo Barddal, diretor da Associação das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Campinas (Transurc), à qual as concessionárias são associadas.

O primeiro ataque aconteceu às 6 horas do dia 1º contra o ônibus prefixo 1598 da VB , que fazia a linha 134 (Terminal Barão Geraldo-Terminal Ouro Verde). Na Avenida John Boyd Dunlop, após a ponte sobre a Rodovia Anhanguera, os vândalos arrancaram cinco quadros de janelas e um alçapão de emergência.

Na madrugada do dia 2, mais cinco ônibus foram depredados. O primeiro desse dia foi o da linha criada especialmente para atender os foliões (Terminal Central-Amarais), foi o ônibus de prefixo 2640, às 4h20, na Avenida Brasil. O veículo teve a janela de emergência e as luminárias internas quebradas e a caixa do cobrador foi arrancada.

O carro prefixo 1081, também da VB, que fazia a linha 134, foi atacado às 6h30, na Avenida John Boyd Dunlop, no mesmo dia. Ele teve um quadro de janela e um vidro da porta dianteira arrancados.

O terceiro foi o ônibus prefixo 2995, da Itajaí Transportes Coletivos, às 6h50, na Avenida John Boyd  Dunlop, sobre a ponte da Rodovia dos Bandeirantes. Os vidros das janelas de emergência dos lados direito e esquerdo, vidro  vigia  traseiro foram quebrados. As borrachas de vedação também foram arrancaram.

Às 7 horas, o ônibus da VB, prefixo 1082, também da linha 134, foi atacado por vândalos na Avenida Carlos Lacerda, próximo ao Terminal da Vila União. Foram arrancados dois quadros de janelas e uma câmera de segurança.

O quinto veículo, ônibus também da VB, prefixo 1085, que fazia a linha Terminal Shopping Dom Pedro-Terminal Ouro Verde, também foi atacado quando transitava na Avenida Carlos Lacerda, pelos mesmos vândalos que atacaram o anterior. Eles embarcaram próximo do Terminal Ouro Verde e, logo em seguida, iniciaram a depredação. Foram cinco quadros de janelas e um vidro vigia traseiro arrancados.

Hoje, às 5 horas, dois veículos da VB, que faziam a linha especial de Carnaval, foram atacados logo depois de deixarem a Estação dos Amarais, na altura do Instituto de Tecnologia de Alimentos (Ital), na Avenida Brasil. Os dois veículos, prefixos 3979 e 3890, foram depredados.

No primeiro, os vândalos quebraram uma câmera de segurança, a caixa do cobrador, o cordão da campainha e rasgaram a cortina que fica atrás do cobrador. O segundo veículo teve duas câmeras de segurança quebradas. Faltam dois dias para terminar a Operação Carnaval.

Três ônibus queimados, um monte de sucata. Foi o que restou na garagem da VB Transportes e Turismo após o vandalismo ocorrido no Terminal Vida Nova, no dia 13 de janeiro. Além deles, que não servem para mais nada, outros nove veículos foram depredados. Nesse dia, a ação irresponsável de alguns criminosos prejudicou nada menos que 4.700 passageiros dos 13.500 passageiros que utilizam as linhas 126, 127, 128, 130, 131, 132 e 136 durante o dia.

Nos oito dias subsequentes, as linhas 126 e 127 do bairro Vida Nova ficaram paradas, pois os ônibus tiveram de ser consertados, já que um terço da frota que circula na região foi depredada. Além dos passageiros prejudicados, a empresa teve um prejuízo de R$ 450 mil.

A justificativa para o vandalismo foi a morte de 12 pessoas na região onde fica o Terminal Vida Nova. “Sempre que há manifestações, os ônibus acabam sendo alvo de protestos e vandalismo, mas o que o transporte coletivo tem a ver com isso?”, questiona Paulo Barddal, diretor de Comunicação e Marketing da Associação das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Campinas (Transurc).

No local, havia cerca de 300 manifestantes, muitos com os rostos cobertos, carregando pedaços de pau, pedras e substâncias inflamáveis. Além dos veículos, as cabines do Terminal Vida Nova também foram queimadas e apedrejadas.

Um Monza também foi queimado e a imprensa foi recebida a pedradas e pauladas.

A Polícia Civil investiga o caso das 12 mortes. Já os ônibus esperam sem vida para virarem sucata em algum ferro- velho.

 

O número de assaltos caiu dentro dos veículos, graças ao uso crescente do Bilhete Único para pagamento das passagens e à consequente redução da quantidade de dinheiro. Em 2013, foram registrados 329 roubos contra 398 de janeiro a dezembro de 2012. Há dez anos, quando ainda não havia o cartão com chip (smart card), a quantidade de assaltos chegou a 1.206. Isso porque, naquela época, 40% dos passageiros pagavam as suas viagens com dinheiro.

Já em 2014, esse índice foi reduzido para menos de 10% em janeiro e a tendência é de que o porcentual caia ainda mais. “A população de Campinas descobriu que o Bilhete Único traz inúmeras vantagens, como o pagamento de uma tarifa para fazer até três viagens no período de duas horas e o bloqueio do saldo do cartão caso ele seja perdido ou roubado”, explica Paulo Barddal, diretor de Comunicação e Marketing da Associação das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Campinas (Transurc).

Hoje em dia circulam quantias inferiores a R$ 20,00 ou R$ 30,00 por veículo, ou seja, com a quantidade menor de dinheiro dentro dos ônibus, os ladrões não veem mais atrativos para cometer crimes.

O resultado positivo é consequência do investimento que a Transurc e suas empresas associadas têm feito nos últimos anos em tecnologia e segurança. Atualmente já são mais de 300 postos de Representantes Credenciados que podem recarregar o cartão Bilhete Único, além dos postos de venda da associação nos terminais. Também é possível comprar créditos pela internet e fazer recarga dentro dos ônibus (para o Vale-Transporte).

Mais de 90% das operações são feitas de forma eletrônica ou ainda com o pagamento por meio de boletos bancários e, com isso, na sede da Transurc também houve redução na circulação de dinheiro, pois poucas pessoas e empresas fazem compra em espécie e ainda podem optar pela entrega por sistema de delivery.

Mais segurança – além do investimento na bilhetagem eletrônica, as empresas do transporte coletivo fizeram a instalação de GPS em suas frotas. As informações registradas no aparelho (velocidade, horários, parada nos pontos) vão permitir o monitoramento on-line dos coletivos e também a aplicação de ajustes das linhas, além de identificar os pontos de gargalo, acidentes e roubos. As concessionárias, conforme exigência da Prefeitura de Campinas, também estão investindo na instalação de câmeras em todos os veículos.

Campanhas ajudam a popularizar cartão

Atualmente são mais de 846 mil cartões Bilhete Único cadastrados e o que incentivou para que seu uso aumentasse e, consequentemente, a quantidade de dinheiro dentro dos veículos diminuísse foram as campanhas “Faça comigo seu Bilhete Único” e “Segunda via gratuita do cartão”, promovidas pela Transurc no final do ano passado. Foram reemitidos 13.939 cartões e impressos mais de 5 mil novos cartões.

Na primeira campanha, dez agentes de cadastramento, vestindo um colete com o logotipo da Transurc, abordaram os passageiros nos pontos de ônibus do Centro.

Na hora, por meio de um smartphone, o agente verificou se o passageiro possuía algum tipo de cartão cadastrado em seu nome e, quando não o tinha, o cartão já era entregue.

Hoje, a família de cartões Bilhete Único atende funcionários de empresas, estudantes, pessoas portadoras de necessidades especiais, idosos e usuários comuns.

 

O Passe Lazer foi ampliado para duas edições mensais. Em fevereiro, ocorre nos dias 16 e 23, os dois últimos domingos do mês. O anúncio da ampliação do benefício foi realizado no dia 11 de fevereiro, durante coletiva de imprensa na prefeitura.

Nos dias de Passe Lazer, o usuário do transporte público paga R$ 1,50 pela passagem de ônibus; em vez dos R$ 3,00 cobrados em dias normais. O benefício vale para pagamento em dinheiro ou com o cartão do Bilhete Único Comum. O Bilhete Único ainda tem a vantagem da integração temporal, possibilitando a utilização de mais de um veículo, pelo período de 2h, pagando uma única passagem.

Histórico

A primeira edição do Passe Lazer foi realizada no dia 28 de abril de 2013. O benefício não vale para quem tem o Bilhete Único Escolar, que já possui 60% de desconto no valor da tarifa; e, também, para quem tem o Bilhete Único Vale-Transporte, por ser um benefício antecipado que a empresa empregadora presta ao funcionário, para seu deslocamento ao trabalho. Já quem tem o cartão de Bilhete Único Idoso ou Gratuito não paga a tarifa de ônibus.

 

A Associação das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Campinas (Transurc) está com inscrições abertas para o Programa Escolas nas Garagens, que é voltado para alunos do 5° ano do Ensino Fundamental de escolas públicas estaduais e municipais de Campinas. Para participar, os responsáveis devem entrar em contato com a Diretoria de Comunicação da Transurc pelo telefone (19) 3731-2643 e informar quantas turmas irão ao passeio.

Na semana em que a visita for realizada, a Transurc entrará em contato com a escola e solicitará o envio da lista de alunos, das autorizações dos pais ou responsáveis e do nome dos acompanhantes adultos (um para cada grupo de 15 crianças).

“O programa existe desde 2004 e é uma iniciativa da Transurc e das concessionárias do transporte coletivo urbano de Campinas. Desde o início, já participaram 95 mil crianças. Somente em 2013, 104 escolas públicas enviaram seus alunos para o programa, com uma média de 35 estudantes em cada turno. Como a procura é sempre alta, pedimos que as escolas reservem as datas e garantam as visitas o quanto antes”, esclarece Paulo Barddal, diretor de Comunicação e Marketing da Transurc.

No passeio, que acontece todos os dias, de manhã e à tarde, os alunos recebem informações sobre cidadania e preservação ambiental, e conhecem pontos históricos da cidade. No Centro, as crianças tomam um lanche na Choperia Giovannetti. Depois vão até uma das garagens das concessionárias, onde conhecem a rotina do sistema e o processo de manutenção dos veículos.

Em seguida, assistem a uma peça de teatro e participam de um concurso de pintura mensal, cujo vencedor ganha, para ele e para a família, um passeio na maria-fumaça, que circula entre Campinas e Jaguariúna, cortesia da Associação Brasileira de Preservação Ferroviária (ABPF).

Ao final do passeio, no retorno à escola, os alunos recebem um kit escolar com caneta, régua, adesivos e cadernos. O programa também tem o apoio da Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (Emdec).

Depois de passar pelo Terminal Vila União e pelo Terminal Padre Anchieta em janeiro, o Expresso Bilhete Único, que permite o cadastro e a compra do Bilhete Único Comum, volta para a Avenida Moraes Salles, em frente da Guarda Municipal, em fevereiro. O atendimento é feito das 8h30 às 18h30, de segunda a sexta-feira.

No micro-ônibus, o Bilhete Único Comum é feito na hora e o usuário já sai podendo usufruir os benefícios do cartão. “Hoje não existe qualquer tipo de burocracia para fazer o Bilhete Único Comum. O cadastro é realizado sem qualquer custo, a emissão do BU é feita na hora e a própria recarga, que pode ser feita com o valor que o cliente desejar, é possível em mais de 300 pontos da Rede de Representantes Credenciados da Transurc, além dos terminais e do Poupatempo Centro”, explica Paulo Barddal, diretor de Comunicação e Marketing da Associação das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Campinas (Transurc).

O Expresso Bilhete Único tem sido uma excelente alternativa aos usuários do transporte coletivo urbano de Campinas que desejam fazer o cadastro para o Bilhete Único Comum, a recarga e a consulta desse tipo de cartão.

Como fazer

Para efetuar o cadastro, o interessado precisa levar apenas a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) ou a Carteira de Identidade (RG) e o CPF. Além disso, quem utiliza o Bilhete Único pode recuperar os créditos em caso de perda, roubo, furto ou inutilização do cartão. Basta entrar em contato com a Transurc pelo 0800 014 02 04, pedir o bloqueio do cartão original e solicitar a emissão de uma segunda via. O saldo do cartão antigo será automaticamente transferido para o novo.

Três ônibus da VB Transportes e Turismo foram queimados e sete depredados no Terminal Vida Nova hoje, a partir das 11h. O terminal, que é administrado pela Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (Emdec), teve uma das cabines quebradas com pedras e pedaços de pau e a outra queimada. Por falta de segurança para operar no local, as sete linhas (126, 127, 128, 130, 131, 132 e 136) ficaram suspensas e voltam a circular às 15h30, pois a gerência da VB Transportes, em reunião com Polícia Militar, teve garantida a segurança da operação. A Emdec também manteve o terminal fechado por todo esse tempo.

No local, havia cerca de 300 manifestantes, muitos com os rostos cobertos, carregando pedaços de pau, pedras e substâncias inflamáveis. Um Monza também foi queimado e a imprensa tem sido recebida a pedradas e pauladas. Além da Polícia Militar e da Guarda Municipal, o Corpo de Bombeiros também esteve presente no local.

Por enquanto não se sabe as causas da depredação e a VB Transportes espera que a PM investigue as causas do ato de vandalismo o quanto antes. É lamentável que os ônibus do transporte coletivo urbano sejam mais uma vez alvo de vandalismo. A empresa ainda não calculou o valor do prejuízo, mas, no fim, os usuários são os mais prejudicados por esse tipo de crime.

Cadastramento do Bilhete Único Escolar começou em 6 de janeiro de 2014 e, para conseguir o benefício, os alunos interessados (e que não participaram da antecipação) devem apresentar o Atestado de Matrícula para Aquisição do Passe Escolar, que está disponível no site www.transurc.com.br, na sede da Associação das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Campinas (Transurc) ou nos postos de venda dos terminais Central, Ouro Verde, Campo Grande e Barão Geraldo. Depois de preencher o documento, ele deve ser entregue em um desses postos, cujo horário de atendimento é de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h.

A partir da entrega do formulário por parte dos estudantes, a Transurc tem prazo legal de até 15 dias para verificar a documentação, emitir a Carteira de Frequência e o cartão Bilhete Único Escolar para os alunos que ainda não o possuem. Vale ressaltar que 10.942 cadastros já foram feitos durante o processo de antecipação. São esperadas mais 35 mil inscrições neste ano.

“A antecipação tem o objetivo de dar maior comodidade aos estudantes que já utilizam o benefício do Passe Escolar e diminuir as filas nos postos de atendimento no início do ano letivo”, explica Paulo Barddal, diretor de Comunicação e Marketing da Transurc.

 

Quem pode usar

O Passe Escolar pode ser utilizado por estudantes que residam a mais de 1.000 metros do estabelecimento de ensino.

O benefício é usufruído pelos alunos que cursam Ensino Fundamental, Médio, supletivos ou cursos profissionalizantes técnicos de nível médio.

O processo de Cadastramento do Passe Escolar é amparado pelo Decreto nº 13.807, de 12 de dezembro de 2001, regulamentado pela Lei nº 9.788, de 2 de julho de 1998.

O benefício do Passe Escolar concede um desconto de 60% em relação ao valor da tarifa vigente. Atualmente, o valor fica em R$ 1,80, já que o valor integral da passagem é de R$ 3,00.

As concessionárias do transporte coletivo urbano de Campinas começam a segunda fase de implantação do sistema de GPS este mês. Depois de fazer a instalação do aparelho em suas frotas, estão sendo montadas estações de monitoramento em cada uma das seis garagens existentes na cidade. A Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (Emdec) também terá uma Central de Monitoramento para gerenciar os GPS dos coletivos.

Além da montagem, as empresas fazem a contratação de novos funcionários que trabalharão no monitoramento dos ônibus. Ao todo, cerca de 50 pessoas serão treinadas pela fornecedora dos aparelhos GPS, para fazer o controle dos itinerários dos ônibus. As informações registradas no aparelho (velocidade, horários, parada nos pontos) serão repassadas em tempo real para as centrais, permitindo o monitoramento on-line dos coletivos e também a aplicação de ajustes das linhas.

Com isso, será possível identificar os pontos de gargalo, acidentes, roubos, locais onde existem problemas crônicos e grande demanda, além de trabalhar para evitar atrasos e otimizar o serviço nas diversas regiões de Campinas.

Futuramente, devem ser instalados painéis eletrônicos nos pontos de ônibus para informar o horário em que os ônibus vão passar. A Emdec também planeja a criação de um aplicativo para smartphones e tablets, chamado Embarque Acessível, que se comunicará com os GPS para informar o itinerário e os horários da linha de ônibus desejada, além de orientações sobre origem e destino das linhas, pontos e linhas de determinado destino, horário de chegada a determinado lugar e tempo de espera.

 

Câmeras de segurança

As concessionárias, conforme exigência da Prefeitura de Campinas, também estão investindo na instalação de câmeras em todos os veículos. Todos os 313 ônibus da área 1 do Sistema InterCamp, que atendem as regiões do Ouro Verde, Vila União e Corredor Amoreiras, já contam com o sistema de vigilância. Já na área 2, que compreende o Campo Grande, Padre Anchieta e Corredor John Boyd Dunlop, 40% dos 271 veículos já têm câmeras. Na área 3, que abrange Barão Geraldo, Sousas, Amarais, Rodovia “Campinas – Mogi-Mirim” e Corredor Abolição, 42% dos 333 ônibus estão equipados.

Na área 4, que compreende as regiões do Nova Europa, Santos Dumont e Aeroporto de Viracopos, os novos veículos já virão com as câmeras instaladas. Além disso, a Onicamp Transporte Coletivo faz avaliação para instalar os equipamentos em toda a frota até julho deste ano.

As concessionárias do transporte coletivo urbano de Campinas entregaram 10 novas vans para o Programa de Acessibilidade Inclusiva (PAI), sistema de transporte porta a porta e porta a ponto de ônibus gratuito, que atende pessoas com restrições de mobilidade. Os veículos foram apresentados à população na manhã do dia 21 de dezembro, um sábado, durante evento em frente do Largo da Catedral Metropolitana.

Em 2014, mais 15 vans serão incorporadas à frota, totalizando 25 novos veículos, que irão ampliar o atendimento aos usuários do serviço. “As concessionárias continuam investindo na melhoria da acessibilidade e o PAI é muito importante para melhorar a qualidade de vida das pessoas que têm mais dificuldades na locomoção. A meta é dobrar a capacidade do programa ainda no primeiro trimestre de 2014”, afirma Paulo Barddal, diretor de Comunicação e Marketing da Associação das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Campinas (Transurc), à qual as concessionárias são associadas.

Durante a cerimônia de entrega, estiveram presentes o prefeito de Campinas, Jonas Donizette, secretários municipais, vereadores, empresários do setor de transporte, representantes da sociedade civil, operadores das vans, além do público que caminhava pelo Largo da Catedral.

“Esse é mais um exemplo de toda a atenção que nós temos, de todo o trabalho de políticas públicas que nós realizamos, voltado para as pessoas com deficiência”, afirmou Donizette.

O secretário de Transportes e presidente da Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (Emdec), Sérgio Benassi, revelou que “a nova frota irá zerar a atual demanda de atendimentos do PAI. Os nossos usuários não receberão mais um ‘não’ para as solicitações”.

As novas vans do PAI possuem novo padrão, com a predominância das cores amarelo e branco, além de detalhes em laranja, verde e azul. Agora o serviço conta com 35 vans e 2 ônibus adaptados. Todos os veículos serão adaptados com o novo padrão de cores.